Topo
pesquisar

A crise do socialismo chinês

Estratégias de Ensino

PUBLICIDADE

Avaliando a situação da China por meio de um simples provérbio.


Muitas vezes, podemos estabelecer o desenvolvimento de toda uma aula por meio de uma frase, questão ou documento capaz de gerar perguntas e desenvolver o confronto de ideias entre os alunos. Partindo dessa possibilidade de trabalho, oferecemos um roteiro de atividade pelo qual uma turma inteira poderá investigar, analisar e produzir conhecimento sobre a experiência socialista na China. Para tanto, oferecemos ao professor o antigo ditado proferido pelo líder Deng Xiaoping, dirigente do Partido Comunista da China, na década de 1980:

“Não interessa se o gato é branco ou preto, o que importa é que ele mate o rato”.

Antes de querer discutir com a turma sobre o significado dessa frase, no contexto em que foi proferida, faça um primeiro exercício em que eles se atenham somente à compreensão do ditado. Em breve discussão, não haverá grandes dificuldades para se determinar o sentido da oração. De forma sucinta, chegamos à conclusão de que a forma de se resolver uma determinada adversidade não tem grande importância, desde que a mesma seja solucionada.

Feita essa consideração, o professor pode solicitar aos alunos um trabalho de investigação para que seja possível identificar o peso desse provérbio na época em que ele foi dito. Inicialmente, o trabalho pode ser desenvolvido com uma pequena biografia de Deng Xiaoping, onde os alunos poderão traçar a carreira política dessa importante figura da História da China. Logo em seguida, o trabalho se sequencia com a interpretação do provérbio.

Afinal de contas: Qual era o “rato” ao qual o dirigente comunista fazia menção? E qual “gato” seria esse? Por meio dessas duas perguntas, os alunos poderão finalizar o trabalho expondo que, a partir da década de 1970, a China passou por graves problemas econômicos oriundos do insucesso do “Grande Salto para a Frente”, política econômica experimentada entre 1958 e 1961, e a “Revolução Cultural”, que aconteceu no ano de 1966, sob a liderança de Mao Tse-tung.

Salientado os resultados dessas duas ações, o aluno será capaz de definir qual ou quais seriam os “ratos” que se apresentavam para Deng Xiaoping, quando o mesmo assumiu o governo da China. Concretizada a coleta dessas informações, o trabalho se finaliza com a explicação de que o “gato” utilizado pelo dirigente chinês consistia na abertura da economia chinesa para a economia capitalista. Desse modo, a declaração seria completamente compreendida pelos alunos.

Caso ache interessante, o professor poderá solicitar a produção de um cartaz que explique os elementos e significados contidos no ditado. Além de exercitarem sua capacidade interpretativa, os discentes envolvidos nesse pequeno projeto terão oportunidade de expor a sua produção de conhecimento para os outros colegas da escola.


Por Rainer Sousa
Graduado em História
Equipe Brasil Escola


História - Estratégias de Ensino - Educador - Brasil Escola

PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola