Topo
pesquisar

A realização de uma mostra cultural para “O dia do Índio”

Estratégias de Ensino

Ainda temos em nosso imaginário muitos estereótipos a respeito dos indígenas. Contra isso, podemos realizar uma mostra cultural no Dia do Índio.
PUBLICIDADE

Ainda temos em nosso imaginário muitos estereótipos a respeito dos indígenas. Por esse motivo, quando nossas escolas pretendem organizar um “Dia do Índio”, há um risco muito grande de reforçar esses esterótipos. No entanto, podemos ter nisso uma oportunidade de oferecer aos estudantes, pais e até mesmo a nossos colegas professores um conhecimento consistente.

Para isso podemos realizar uma Mostra Cultural.

Quando falamos sobre arte indígena, pensamos imediatamente em artesanato e música. Com o advento das novas tecnologias, as populações indígenas que têm acesso a elas também as utilizam como via de expressão artística, como é o caso do cinema.

A Mostra Cultural pode envolver todas as turmas, cada uma produzindo e sendo responsável por um conteúdo diferente. Cartazes e/ou banners podem ser confeccionados com imagens atuais e que correspondam a temas atuais - como a violência contra a mulher indígena, a homossexualidade entre os indígenas, a demarcação de terras – e a temas mais amplos, como a multiplicidade de línguas indígenas, os diversos povos, os hábitos alimentares de determinados povos, a importância da música para determinado povo, a religião e a importância da narrativa oral, por exemplo.

Esse material pode ficar disponível em uma sala de aula ociosa, caso não haja um ambiente mais propício na escola. As turmas serão convidadas uma a uma a visitarem a sala de exposição. Depois, o professor/a professora pode pedir um relato que compreenda pelo menos cinco itens vistos ali que chamaram a atenção do estudante, como forma de avaliação.

Durante a visitação das turmas, pode-se reproduzir músicas do CD de Marlui Miranda, Todos os Sons, de 1995. Neste CD, que é possível ouvir na íntegra pelo Youtube, Marlui apresenta uma coletânea de músicas que corresponde a várias nações indígenas, trabalho que exigiu dela anos de pesquisa.

Pequenos filmes, curta-metragens, também podem ser exibidos. Alguns exemplos:

a) Rio-Uruçumiry (Direção: Sérgio Péo/ 2004/ Duração: 16')

b) Xukuru Ororubá (Direção: Marcília Barros/ 2008/ Duração: 15'46'')

c) Toré – Celebração e resistência no Planalto Central (Direção: Eduardo Garcês/ 2008/ Duração: 11')

d) Marçal de Souza, Tupã'I (Direção: Ednaldo Souza Rocha/ 2008/ 21')

e) Canções de Resistência Guarani (Direção: Ricardo Sá/ 2010/ 21')

Para complementar a Mostra Cultural, podemos convidar indígenas a falarem sobre suas vivências em uma palestra para escola. Nas Universidades Federais é possível encontrar jovens e adultos indígenas que ingressaram no ensino superior. Alguns são estudantes da Licenciatura Intercultural Indígena. É possível entrar em contato com eles e fazer o convite. Ouvir de um indígena sobre sua realidade pode ser uma oportunidade de enriquecimento cultural para todos os estudantes.

*Créditos da imagem: Frontpage / Shutterstock.com


Por Wigvan Pereira
Graduado em Filosofia

Índio Pataxó Tucum Airi fala sobre a educação indígena e elementos da sua cultura *
Estratégias de Ensino Educação Indígena
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola