Topo
pesquisar

Aprenda a usar moluscos nas aulas de Zoologia

Estratégias de Ensino

Ao usar moluscos nas aulas de Zoologia, você pode criar uma forma interessante, mais produtiva e divertida de ensinar cada uma das estruturas desses animais.
PUBLICIDADE

Algumas vezes, ao descrever um animal ou uma estrutura, não conseguimos fazer com que nosso aluno consiga visualizar mentalmente o que estamos explicando. Fotos e ilustrações podem ajudar no processo, porém, nada é melhor que uma aula prática, em que é possível tocar e verificar nos mais diversos ângulos o que nos foi descrito. Diante disso, indicaremos a seguir uma forma prática de ensinar o filo Mollusca.


→ Utilização de moluscos em sala de aula

Os moluscos são animais de corpo mole que geralmente possuem conchas para a maior proteção de suas estruturas internas. Estima-se que existam mais de 50.000 espécies de moluscos. Esse grupo possui algumas espécies muito familiares pelo fato de fazerem parte da alimentação, principalmente de habitantes de regiões costeiras.

Apesar de bastante conhecidos, a maioria das pessoas não sabe diferenciar a estrutura de um molusco. Uma análise criteriosa e orientada durante os estudos pode ser completamente diferente da simples observação durante o preparo e alimentação com um animal desses. Dessa forma, surge a necessidade de uma observação direcionada.

Sabemos que as principais classes de moluscos estudadas no Ensino Fundamental e Médio são os gastrópodes, bivalves e cefalópodes. Para representar cada uma dessas classes, é possível levar para a sala de aula os seguintes organismos:

Gastrópodes: Caracol de jardim, lesma ou mesmo conchinhas vazias desses animais;

Bivalves: Ostras, mexilhões ou conchinhas vazias. Lembre-se de que essas conchas são articuladas e formadas por duas partes (valvas);

Cefalópodes: Polvos ou lulas.

Todos esses animais são de fácil aquisição. Caracóis e lesmas são observados facilmente em jardins. Bivalves e cefalópodes podem ser comprados em algumas peixarias.

Para a realização da aula prática, alguns materiais, além dos moluscos, serão necessários, tais como: pinça, bisturi, placa de Petri (ou outro local que facilite a manipulação e observação do espécime) e máquina fotográfica para registro do que é observado nesses animais. A pinça e o bisturi serão usados, respectivamente, para manipular algumas partes e fazer cortes que possibilitem a observação das estruturas internas dos moluscos. Vale destacar que o bisturi deve ser usado apenas pelo professor.

É fundamental que cada animal seja visualizado de maneira detalhada e que suas partes corpóreas básicas sejam identificadas (cabeça, pé e massa visceral). Estruturas como ventosas e tentáculos também devem ser bem trabalhadas com os cefalópodes, pois constituem importantes mecanismos de locomoção, defesa e captura de presas.

Após verificar essas estruturas, é interessante pedir para os alunos realizarem um relatório sobre a aula. Desse modo, eles podem fixar o que foi aprendido, relacionando esse conhecimento adquirido na aula prática com a teoria estudada durante a aula expositiva.

Boa aula!


Por Ma. Vanessa dos Santos

PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola