Topo
pesquisar

Lata amassada sem usar as mãos

Estratégias de Ensino

A mudança brusca de temperatura faz com que a pressão externa seja maior do que a pressão dentro da latinha de alumínio. O resultado é uma lata amassada.
PUBLICIDADE

O experimento a seguir mostra os efeitos da variação da temperatura, volume e pressão sobre os materiais. Além de abordar essas grandezas, envolve também conceitos de mudanças de estado físico.

Materiais e reagentes:

  • Uma latinha de alumínio (Aquelas de refrigerante. Não pode ser uma lata de paredes rígidas, senão o experimento não dará certo);
  • Água da torneira e água gelada;
  • Uma tigela grande (de preferência transparente);
  • Uma fonte de calor, como um Bico de Bunsen ou a chama de um fogão;
  • Uma pinça ou garra que dê para segurar a lata de alumínio.

Procedimento experimental:

  1. Coloque água gelada dentro da tigela grande, quase a enchendo, e reserve;
  2. Coloque um pouquinho de água na lata de alumínio;
  3. Segurando com a pinça ou garra metálica, leve a latinha com a água dentro ao fogo;

Parte do experimento em que a lata de alumínio com água está sob aquecimento

  1. Quando a água começar a ferver, observe o que acontece;
  2. Deixe fervendo por uns 30 segundos e desligue o fogo;
  3. Ainda segurando com a pinça, inverta a latinha, colocando-a de cabeça para baixo mergulhada na água gelada da tigela;

Invertendo a lata em recipiente com água para amassá-la

  1. Observe o que acontece.

Resultados e Discussão:

O professor pode instigar os alunos ao fazer perguntas ao longo do processo. Por exemplo, quando a água dentro da latinha entra em ebulição, uma espécie de névoa ou neblina começa a sair de dentro dela. Então, o professor pode perguntar aos alunos o que aconteceu, o que é aquela névoa e relacionar com fenômenos similares que os alunos observam no cotidiano, como as nuvens, quando as pessoas respiram em um dia bem frio e “soltam fumaça pela boca”, como se diz popularmente, quando se toma banho na água bem quente e assim por diante.

Ao contrário do que alguns alunos possam dizer, essa névoa observada não é o vapor de água, porque quando a água passa para o estado de vapor, ela fica invisível para nós. Na realidade, a névoa que os alunos observaram sair da lata é resultado da condensação (passagem para o estado líquido) do vapor de água, que, ao sair da lata, entra em contato com o ar mais frio e forma pequenas gotinhas de água líquida que observamos na forma de uma espécie de “fumaça”. Isso é o que também acontece nos outros casos mencionados.

Todavia, o ponto principal dessa experiência é o final: a lata amassando quando é colocada na água fria. Por que isso acontece?

Bem, quando a água começa a ferver, o vapor que se forma passa a ocupar o espaço que antes era do ar. Assim, com o aumento da temperatura, há uma maior agitação térmica das moléculas e a pressão dentro da lata aumenta.

Quando a lata é colocada na água gelada, o vapor volta a ficar líquido, ocupando menos volume e diminuindo a pressão interna da lata. Visto que a pressão externa torna-se maior, a lata é amassada. Assim, a diferença de pressão é o que faz a lata amassar.

Essa lógica explica o que acontece em outras ocasiões do cotidiano, como quando a temperatura diminui e os balões cheios de ar murcham.


Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química

PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola