Topo
pesquisar

Música no ensino de gramática

Estratégias de Ensino

Sugestão de aula de português que contempla a importância da música no ensino de gramática.
PUBLICIDADE

Professor, que tal uma proposta de aula para deixar mais fácil o ensino da Gramática? Não seria interessante abordar conteúdos gramaticais de uma maneira divertida e lúdica? Pois saiba que é possível, e o uso dessa metodologia produz resultados significativos para o ensino da língua portuguesa.

Para sair da rotina (fuja dela sempre que possível!), proponho que você apresente para seus alunos, especialmente aos alunos da segunda fase do Ensino Fundamental, a música “Gramática”, composta por Sandra Peres e Paulo Tatit da dupla “Palavra Cantada”. Você poderá trabalhar por etapas, pois temos aqui um material rico e cheio de possibilidades, portanto, é importante que seja bem desenvolvido, contemplando assim toda diversidade que a proposta nos apresenta. Abaixo, a letra da música que será nossa principal ferramenta de trabalho nesta proposta:

GRAMÁTICA

O substantivo
É o substituto do conteúdo

O adjetivo
É a nossa impressão sobre quase tudo

O diminutivo
É o que aperta o mundo
E deixa miúdo

O imperativo
É o que aperta os outros e deixa mudo

Um homem de letras
Dizendo ideias
Sempre se inflama

Um homem de ideias
Nem usa letras
Faz ideograma

Se altera as letras
E esconde o nome
Faz anagrama

Mas se mostro o nome
Com poucas letras
É um telegrama

Nosso verbo ser

É uma identidade
Mas sem projeto

E se temos verbo
Com objeto
É bem mais direto

No entanto falta
Ter um sujeito
Pra ter afeto

Mas se é um sujeito
Que se sujeita
Ainda é objeto

Todo barbarismo
É o português
Que se repeliu

O neologismo
É uma palavra
Que não se ouviu

Já o idiotismo
É tudo que a língua
Não traduziu

Mas tem idiotismo
Também na fala

De um imbecil.

Leve a música para seus alunos ouvirem e peça que acompanhem com a letra. Depois dessa primeira leitura, a turma deverá fazer uma análise sobre o texto. É certo que os alunos têm um conhecimento prévio sobre o assunto, mas é importante ressaltar a maneira como os compositores falam dele, desvencilhando o conteúdo de definições previsíveis e da objetividade com que são tratados nas gramáticas. Peça que observem a subjetividade presente na canção e o quanto esse olhar informal pode auxiliar na apreensão do conteúdo, já que cada um de nós desenvolve técnicas peculiares para facilitar o próprio aprendizado.

Depois desse primeiro momento com a letra da música, pergunte aos alunos se as definições que os autores fizeram são pertinentes e peça que eles identifiquem as classes gramaticais que são definidas na música. Posteriormente, lance um desafio: os alunos deverão fazer uma música inspirada na canção “Gramática” e nela deverão definir, subjetivamente, pelo menos três classes gramaticais. A atividade funcionará bem se feita em grupos, o que permitirá que os alunos entrem em contato com as definições dos outros colegas, tornando o trabalho ainda mais rico e prazeroso. Ao final, peça que cada grupo apresente sua versão para a classe e que distribua cópias de seus textos para que todos possam acompanhar.

A música está presente no nosso dia a dia e, por isso, é uma ferramenta que desperta a curiosidade dos alunos. Temos inteligências múltiplas, sendo assim, a habilidade musical é tão importante quanto a lógico-matemática e a linguística, porque auxiliam outros tipos de raciocínio. Quando trabalhamos com música em sala de aula, permitimos que nossos alunos desenvolvam a memória, a comunicação verbal e a imaginação, além de ser uma linguagem que pode ser relacionada com outras manifestações culturais e até mesmo com áreas específicas do conhecimento humano, como o estudo da língua portuguesa.


Por Luana Castro
Graduada em Letras

 

PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola