Aula sobre Estado Islâmico e a origem histórica do terrorismo islâmico

Com esta proposta de aula sobre o surgimento do Estado Islâmico e a origem do terrorismo islâmico, o professor de História pode encontrar um caminho interessante para conduzir o assunto em sala.

O Estado Islâmico é um dos assuntos mais complexos de serem debatidos atualmente. O fato de ser algo ainda recente na história dificulta a obtenção de determinadas informações ou a comprovação da vericidade de outras. Com o fortalecimento dos grupos fundamentalistas islâmicos após os atentados de 11 de setembro de 2001, em Nova Iorque, duas tendências apareceram: o aumento da vigilância sobre os aeroportos e fronteiras e o aumento da xenofobia contra populações de origem árabe.

A partir desse processo de crescimento da xenofobia contra populações de origem árabe, é importante que o professor em sala de aula utilize todas as informações ao seu alcance para desconstruir certos preconceitos que são disseminados e fazer o aluno perceber a complexidade de determinados temas e que a história não é maniqueísta. Assim sendo, uma aula explicativa sobre o Estado Islâmico deve abordar questões como:

1) Qual é a origem do terrorismo islâmico?

Aqui deve ser abordada a origem histórica do terrorismo islâmico, ou seja, as condições históricas que possibilitaram o surgimento de grupos fundamentalistas islâmicos no Oriente Médio. O terrorismo no Oriente Médio está relacionado com um processo de intervenções estrangeiras sobre os países do Oriente Médio, o que promoveu pobreza na região. Muitas vezes, as potências ocidentais fomentavam e apoiavam ditaduras para garantir a manutenção dos seus interesses. Um cenário de pobreza e alienação é campo fértil para grupos fundamentalistas cooptarem pessoas.

Depois de apresentado o contexto histórico de surgimento do terrorismo islâmico, podemos realizar um paralelo com a próxima questão.

2) Qual é a origem histórica do terrorismo?

Aqui, professor, deve ser mostrado para o aluno que o terrorismo, enquanto prática militar, não foi utilizado exclusivamente por povos islâmicos e que, na História, existem inúmeros casos de outros povos que usaram práticas terroristas, como os grupos de judeus zelotes, que utilizavam estratégias terroristas para lutar contra a dominação romana, e o “Mão Negra”, grupo terrorista pan-eslavista que lutava contra a dominação da Áustria-Hungria sobre os Bálcãs. A intenção aqui é desconstruir a fala que associa terrorismo única e exclusivamente ao Islamismo.

3) Qual é a origem do Estado Islâmico?

Aqui é necessário fazer um breve acompanhamento dos fatos históricos que possibilitaram o surgimento do Estado Islâmico e seu califado. O surgimento do Estado Islâmico está relacionado com o processo de falência do Iraque enquanto nação a partir da invasão norte-americana em 2003. Com a ausência do poder estatal, o Iraque tornou-se alvo de grupos islâmicos, que passaram a cooptar a população em prol do fundamentalismo. Com a Primavera Árabe, o Estado Islâmico aproveitou-se da guerra civil na Síria e expandiu sua atuação para lá. À medida que ganhava força e dinheiro, a atuação do Estado Islâmico difundiu-se por vários países e hoje está presente até mesmo em países bem distantes do Oriente Médio, como Trinidad e Tobago.

Aqui é importante pontuar que o Estado Islâmico faz uso do discurso fundamentalista religioso como estratégia de cooptação de pessoas, entretanto, os motivos que levam o Estado Islâmico à prática do terrorismo são essencialmente políticos.

4) Qual é a ideologia por trás do Estado Islâmico?

Aborde a respeito do wahabismo, movimento sunita dentro do islamismo que defende um retorno às origens do Islã e que uma interpretação literal do Corão seja realizada. O wahabismo é a ideologia oficial da Arábia Saudita, nação árabe mais rica e que importa essa ideologia para outros países.

Essa corrente surgiu no século XVIII, com o teólogo Muhammad ibn Abd al-Wahhab, e prosperou nos ambientes de pobreza presentes no Oriente Médio após anos de exploração intensa. Atualmente, também está crescendo em comunidades islâmicas localizadas na Europa, principalmente em jovens que não conseguem integrar-se na sociedade ocidental.

A principal questão a respeito do wahabismo é quem está por trás dele. Como mencionado, o país que atualmente importa essa ideologia é a Arábia Saudita. Hoje a Arábia Saudita é o maior aliado dos Estados Unidos na região. Logo, percebemos que, apesar de lutar contra o Estado Islâmico, os EUA apoiam o país que importa a ideologia de suporte dos grupos islâmicos, o que caracteriza uma grande contradição.

5) O que diz o Islã sobre o terrorismo islâmico moderno?

Aqui pode ser realizada uma análise a respeito dos princípios religiosos do Islamismo com o objetivo de diferenciá-los do fundamentalismo. Em outras palavras, o fundamentalismo é uma leitura radical dos princípios básicos do Islã e que não necessariamente reflete a postura dos muçulmanos. O objetivo é mostrar a leitura manipulada do Corão que os grupos fundamentalistas fazem para justificar os seus ataques para as pessoas cooptadas.

É claro que essas questões podem e devem ser expandidas em outros pontos e questionamentos. O objetivo é mostrar que as origens do terrorismo islâmico e de grupos como o Estado Islâmico são mais complexas do que se imagina e que, basicamente, possuem razões políticas. Após a realização dessa aula, se necessário, peça aos alunos que escrevam um texto dissertativo a respeito do que compreenderam acerca do assunto.

*Créditos da imagem: Rena Schild e Shutterstock


Por Daniel Neves
Graduado em História


Fonte: Brasil Escola - http://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/aula-sobre-estado-islamico-origem-historica-terrorismo-islamico.htm