Topo
pesquisar

Professora quer montar oficina de robótica com ajuda de vaquinha virtual

Notícias

Dinheiro arrecadado será para comprar equipamentos para uma escola pública de Goiânia
Por Lorraine Vilela Campos
PUBLICIDADE

Um sonho é o que move a professora Thamires Olímpia: utilizar a robótica para colaborar com o crescimento intelectual e social dos estudantes da Escola Estadual Dr. Antônio Raimundo Gomes da Frota, em Goiânia. A educadora idealizou um projeto voltado para a ciência e tecnologia no colégio e, para que as aulas sigam para a parte prática, ela criou uma "vaquinha" online para arrecadar fundos. 

Conheça o projeto e colabore!

A expectativa de Thamires é atender aproximadamente 75 alunos na oficina de robótica, do 6º ao 9º ano do ensino médio, com idades entre 11 e 16 anos. O custo estimado é de R$ 15 mil, já que a escola conta com apenas um computador e um projetor, equipamentos que são compartilhados entre todos os professores. Para que os estudantes possam desenvolver seus projetos e participar de torneios estudantis, será preciso adquirir materiais didáticos, kits da marca Lego que são próprios para robótica, computadores, tapete para a prática com os robôs, mesas e outros. 

A professora decidiu unir a tecnologia já presente na vida dos estudantes com um disciplina que pudesse utilizá-la. "Por meio da montagem e programação de robôs os alunos mobilizam diversos conhecimentos interdisciplinares (linguagens, matemática, eletrônica, computação, ciências, física, e muitas outras...), de uma forma prática e divertida", destaca Thamires. 

Leia também: Jovens premiados em feira de ciências do Google dão dicas para estudantes

Apesar da falta dos materiais necessários para o funcionamento completo da oficina, Thamires trabalha a robótica com seus alunos da maneira que pode. O projeto utiliza a sala cedida pela escola e o computador que o colégio possui, já que a educadora apresenta a parte teórica da robótica há alguns meses. Além disso, os estudantes receberam ajuda com um material cedido pelo colégio Sesi Canaã, responsável pelo projeto Sentinela, aplicativo criado para conscientizar a população e ajudar a Secretaria de Saúde no combate a Febre Amarela

Thamires destaca que a melhora no desempenho dos estudantes que já integram a oficina, mesmo que ainda voltada só para a teoria, já é percebida por outros professores. A educadora ressalta que a robótica, além de possibilitar uma maior integração/compreensão dos alunos em relação ao conhecimento científico visto na escola, é um meio de desenvolvimento cidadão do aluno. "Isso por que a oficina de robótica valoriza o trabalho em equipe, a capacidade de solucionar problemas, a autonomia, empreendedorismo, união, comprometimento, cooperação e responsabilidade", afirma a professora. 

Confira: Estudantes brasileiros participam de campeonato na NASA 

Como a disciplina é eletiva, ou seja, os estudantes escolhem participar das aulas, as turmas recebem estudantes que veem na tecnologia uma esperança. "Muitos alunos não tinham vontade e não se viam motivados na escola justamente por não terem sonhos ou perspectivas de um futuro melhor. Acredito que a robótica despertou o interesse deles e a esperança de que eles podem romper barreiras e alcançar os desejos que eles têm", destaca Thamires.

Próximos Passos

O objetivo com a arrecadação do dinheiro para a compra dos materiais necessários é colocar os alunos em contato com a parte prática da robótica. A professora pretende participar da etapa regional da First Lego League, competição mundial que estimula a criação de robôs em torno de uma temática de cunho social ou ambiental. 

O projeto para a etapa regional da competição já está em estudo. A equipe de Thamires vai abordar o tema do problema da escassez de água na escola, só que para ir adiante no torneio é preciso conseguir as peças para o robô e os tapetes de campeonato, pelo menos. 

Veja também: Conheça os estudantes brasileiros premiados em feira de ciências e engenharia dos Estados Unidos 

O envolvimento de crianças e adolescentes com as áreas de Ciência e Tecnologia tem rendido frutos para estudantes brasileiros. Jovens são premiados em competições internacionais com descobertas na área do meio ambiente e neurociência, por exemplo. É com este sonho que Thamires e seus alunos se mobilizam para conseguir colocar em prática os conhecimentos já adquiridos e aprender mais ainda. 

Mais informações pelo site da vaquinha online, na página da Oficina, no evento da arrecadação no Facebook ou pelo e-mail thamires.olimpia18@gmail.com .

Por Lorraine Vilela

PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola