Topo
pesquisar

Aplicativos para a sala de aula

Sugestões para Pais e Professores

Além de expandir o espaço de aprendizagem para o ambiente virtual, os aplicativos educacionais abrem novas possibilidades de estudos na sala de aula.
PUBLICIDADE

Historicamente, estamos acostumados a ver os estudantes a caminho da escola portando seus livros e cadernos. No entanto, com as novas tecnologias, é normal ver os alunos usarem alguns instrumentos modernos para auxiliar o processo de aprendizagem. É claro que isso é bastante controverso, pois os mais tradicionais defendem a metodologia clássica de educação: lápis, papel e lousa.

Mesmo assim, é comum encontrar escolas que desenvolvem métodos próprios com tecnologia dentro de seus planos pedagógicos. Uma das últimas novidades é a criação de aplicativos para dispositivos móveis que colocam professores e alunos em um mesmo ambiente virtual. A plataforma LMS, sigla em inglês para Sistema de Gestão de Aprendizagem, por exemplo, é utilizada em algumas escolas.

Segundo os profissionais que já utilizam esse sistema, as vantagens são várias, pois o aluno tem sempre em mãos uma ferramenta que possibilita conhecer as atividades que devem ser entregues e até mesmo estudar acessando provas anteriores de dada disciplina.

Para o professor Júlio Ribeiro, que coordena a área de Tecnologia Educacional da Escola Móbile, em São Paulo, esses ambientes virtuais funcionam como uma expansão da sala de aula, pois “os professores publicam conteúdo, agendam provas e lições de casa e interagem com alunos de outras maneiras, como fóruns e debates”.

Ainda de acordo com o professor, a finalidade de um projeto com essas tecnologias é ampliar as possibilidades de ensino sem substituir a área convencional da sala de aula. “Construindo um espaço virtual de aprendizagem complementar, é possível ampliar o repertório de nossos alunos”, completa o professor.

Implantação

O processo de implantação de um sistema como esse deve ser antecedido por uma fase de testes para verificar a usabilidade do sistema. De acordo com o Professor Júlio Ribeiro, foram necessários seis meses de avaliações até que a escola tivesse certeza de qual aplicativo seria usado e, a partir de então, começar a preparar os módulos que seriam usados dentro da ferramenta.

Houve também uma metodologia de preparação para os professores, conscientizando-os de que a plataforma era um facilitador do trabalho, e não uma função a mais. “No primeiro ano, o trabalho foi maior porque era necessário criar o curso na ferramenta. Porém, nos anos seguintes, todo o conteúdo foi mantido, cabendo ao educador apenas lapidar ou criar módulos”, explica o professor sobre a preparação das disciplinas no aplicativo.

Professor Júlio Ribeiro afirma que o uso de aplicativos em sala de aula aumenta as possibilidades de ensino
Professor Júlio Ribeiro afirma que o uso de aplicativos em sala de aula aumenta as possibilidades de ensino

*Imagem cedida pela Escola Móbile

Personalização

Sem dúvidas, o fato de usar tablets, notebooks e smartphones no ambiente escolar pode tornar os estudos mais atraentes e agradáveis, no entanto, os cuidados para que a tecnologia não seja objeto de distração precisam ser tomados. “É preciso preparar e aplicar uma sequência didática que seja coerente, que exija a participação efetiva e um protagonismo do aluno”, alerta o professor Wilton Ormundo, diretor-geral do ensino médio da Escola Móbile.

Além disso, o perfil dos alunos permite aos analistas de Tecnologia da Informação (TI) adaptarem as ferramentas à rotina da escola. Assim, as especificidades de cada disciplina e turma são atendidas, facilitando a operacionalidade do aplicativo, tornando-o mais atraente. As estatísticas também são usadas pelos professores, pois é possível saber em quais questões os alunos tiveram maior dificuldade, direcionando as aulas para sanar as dúvidas mais comuns.

Outro fator positivo no uso da ferramenta é o diálogo entre os usuários. “O aplicativo permite que eu tenha um contato muito mais profundo com aquilo que estou aprendendo, além de possibilitar um diálogo rápido com os professores e com meus colegas sobre os temas estudados”, explica o jovem Pedro Carregã, aluno do ensino médio.

Além da Escola

O conteúdo disponibilizado nesses aplicativos educacionais oferece mais do que um ambiente de interação entre alunos e professores. Podem ainda ajudar nos estudos para vestibulares e para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O banco de materiais para estudos inclui fichas de exercícios, vídeos ilustrativos, textos e outras informações que são utilizadas na aula e também material extra que pode ajudar os alunos em outros estudos.

“Embora seu uso não se limite ao estudo para os vestibulares e para o Enem, o ambiente virtual auxilia e muito nesse sentido”, esclarece Pedro Carregã, que pretende entrar em uma universidade no próximo ano. “O aplicativo é abrangente e interessantes e permite que meu desempenho nas provas seja melhor”, justifica o estudante que acessa o programa pelo menos uma vez por dia.

Para o professor Júlio Ribeiro, “a adoção da plataforma educacional possibilita o uso de recursos didáticos variados que permitem uma participação ativa do aluno em seu processo de ensino-aprendizagem, tornando-o mais significativo e consistente”. Dessa forma, o uso de aplicativos educacionais pode ser mais uma ferramente para quem deseja estudar para o Enem utilizando a internet.


Por Rafael Batista
Equipe Brasil Escola

O Facebook na sala de aula é uma estratégia de aproximação entre a educação e a tecnologia.¹
Sugestões para Pais e Professores Facebook na sala de aula
As principais características do Twitter são a concisão e o número restrito de caracteres no desenvolvimento da mensagem
Sugestões para Pais e Professores Twitter nas aulas de língua portuguesa
O Instagram Biológico pode ser uma metodologia divertida para ajudar os alunos a fixarem o conteúdo *
Sugestões para Pais e Professores Utilizando o Instagram em sala de aula
Nós podemos usar o Instagram, uma rede social baseada em imagens, como recurso didático nas aulas de Filosofia *
Sugestões para Pais e Professores Dez formas de usar o Instagram nas aulas de Filosofia
O Twitter oferece algumas possibilidades interessantes que podem ser exploradas na aula de Filosofia
Sugestões para Pais e Professores Sete formas de usar o twitter na aula de Filosofia
O Facebook, assim como as demais redes sociais, pode ser um bom aliado para a aula Filosofia
Sugestões para Pais e Professores Quatro formas de usar o Facebook na aula de Filosofia
A rápida difusão de informações no mundo atual é um desafio para os professores de Geografia
Sugestões para Pais e Professores Novas tecnologias no ensino de Geografia
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola