Topo
pesquisar

Virtualis

Trabalho Docente

PUBLICIDADE

A palavra virtual vem do latim medieval virtualis, proveniente por sua vez de virtus, que significa: força, potência. Na filosofia escolástica, é virtual o que existe em potência e não em ação. Pierre Lèvy fala em um “possível virtual” já construído que permanece no limbo. O virtual tende a atualizar-se, sem ter passado, no entanto à concretização efetiva ou formal. É um real dissimulado. O possível virtual é exatamente como o real, só lhe falta a pura e simples ausência de existência (materialidade). Trata-se de uma representação e de uma simulação ao mesmo tempo. O virtual não supre o que é real, mas, amplia as possibilidades de atualizá-lo.

De acordo com Pierre Lèvy a Inteligência Coletiva, significa que a todo instante pessoas de diferentes lugares conectam-se a internet, e os computadores se interconectam, propiciando novas informações na rede. A comunicação é democrática, pois a internet permite conexão da inteligência coletiva, que é a comunicação hipertextual.. Portanto, as novas tecnologias da inteligência individual e coletiva estão modificando profundamente os dados do problema da educação e da formação.

Os novos desafios da sociedade contemporânea dizem respeito ao desenvolvimento da competência intelectual, da competência emocional, transformando a informação em conhecimento, associando as tecnologias em projetos pedagógicos inovadores e participativos, gerindo assim a competência ética de forma integrada.

A Internet na Educação presencial e à distância passa a ser um recurso que renova as formas de ensino e aprendizagem nas escolas, no presencial e no virtual, de forma inovadora, complementar e interativa. Na aprendizagem colaborativa, há a interação através de experimentações funcionais, ações construtivistas e discussões, do desenvolvimento da expressão, permitindo que o aluno aprenda a aprender e estimulando a resolução de problemas, o pensamento crítico e a análise. Há o compartilhamento de aplicações e o espaço virtual é partilhado.

O conceito de cibercultura de acordo com o francês Pierre Lèvy constitui no "conjunto de técnicas (materiais e intelectuais), de práticas, de atividades, de modos de pensamento e de valores que se desenvolvem, juntamente com o crescimento do ciberespaço. Corresponde à globalização concreta das sociedades, que inventa um universal sem totalidade."

Ciberespaço é, portanto um espaço de comunicação acessado pela interconexão mundial dos computadores e das memórias dos computadores, que permite o ingresso e transferência de dados e informações à distância. As mais conhecidas funções sociais do ciberespaço são: o correio eletrônico (carta de mensagens, email) e as conferências eletrônicas, que permitem que grupos de pessoas discutam em conjunto sobre temas peculiares.

Porém, a rede é um ambiente de comunicação, mas não é um professor. No ambiente virtual aprende-se a partir de conteúdo e informação. Deve-se atentar para criar e manter um processo significativo de comunicação entre alunos, professores e facilitadores, assim como construir e manter processos de avaliação e certificação do capital humano, investindo no capital intelectual.

O professor do século XXI deve ser um motivador da inteligência coletiva, buscando gerir metodologias de construção compartilhadas do saber, propiciando a criação de identidades inteligentes, flexíveis, autônomas, responsáveis, integrando as múltiplas competências dos alunos com o uso crítico das tecnologias em novos ambientes de aprendizagem.

Lèvy, Pierre. O que é o Virtual.

Amélia Hamze
Profª FEB/CETEC
ISEB/FISO-Barretos

Trabalho Docente - Educador - Brasil Escola

PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola