Topo
pesquisar

Jogo de xadrez nas escolas

Trabalho Docente

PUBLICIDADE

O Jogo de xadrez nas escolas tanto para os professores quanto para os alunos é de livre participação e os jogos acontecerão em atividades extras curriculares, fora do horário de aula. A intenção do Ministério de Educação e Cultura ao implantar o jogo de xadrez nas escolas é a de desenvolver habilidades, tais como a memorização e o raciocínio lógico-dedutivo, com a finalidade de motivar e despertar o interesse dos educandos. Com o interesse no aprendizado do jogo haverá mais uma alternativa pedagógica e atraente para tirar os adolescentes das ruas e evitar que fiquem vulneráveis à violência. O jogo de xadrez nas escolas será implantado, primeiramente nas escolas com salas de aulas de 5ª a 8ª séries, com o intuito de desenvolver a capacidade intelectual dos alunos.

Carlos Alberto Xavier , coordenador do projeto no MEC, diz o seguinte:" É uma atividade extra-classe, que será realizada também nos finais de semana. Professores e alunos são voluntários”. O Projeto do Jogo de xadrez nas escolas está sendo implantado pelos Ministérios da Educação e do Esporte nas cidades de Belo Horizonte (MG), Recife (PE), Rio Branco (AC), Terezina (PI) e Campo Grande (MS), com a finalidade precípua de alcançar aproximadamente 24 mil alunos de 200 escolas.

Jaime Sunyê, mestre em xadrez, com auxílio de técnicos habilitaram 40 professores em cada capital, nessa experiência-piloto. O material para a implementação do projeto nas escolas será adquirido com recursos do Fundo de Fortalecimento da Escola (Fundescola).

Na União Soviética, Alemanha e Argentina desde o início do século XX houve o experimento com o xadrez nas escolas. Recentemente, o experimento com o jogo de xadrez nas escolas foi abraçado também em Cuba e na Venezuela. Desde a década de 80 , no Brasil, no estado do Paraná, houve a implantação desse projeto, onde formaram mestres no jogo de xadrez, que hoje estão habilitando professores e ampliando o programa para outras regiões da federação.

O projeto habilita professores, que se tornam multiplicadores da modalidade nas suas escolas empregando o material distribuído gratuitamente, por exemplo: kits com tabuleiros, jogos de peças, murais didáticos, livros e apostilas com regras básicas. O acompanhamento pedagógico é direcionado para o emprego do jogo de xadrez como componente comum entre professores e alunos, nas mais diversas áreas. A atenção, o raciocínio lógico, a capacidade de resolver problemas, a análise sistemática dos problemas, as conclusões e soluções, aprender a planejar, aumentar a autonomia e controlar a impulsividade favorecem a atuação escolar daqueles que exercitam o xadrez.

O enxadrista russo Anatoly Karpov, campeão mundial de xadrez, apoiou a prefeitura de São Paulo na implantação do projeto “Xadrez e Damas em Tampinha”. O programa vincula o aprendizado do xadrez com a reciclagem do lixo. As crianças coletam garrafas plásticas de refrigerante para aproveitar as tampinhas como peças do tabuleiro.

O Jogo de xadrez nas escolas é um projeto que tem a colaboração das federações de xadrez e vai certamente ajudar as escolas a se tornarem mais atraentes e motivarem mais a atuação dos alunos. Como um tabuleiro e um jogo de peças têm custo reduzido e muita durabilidade, lembramos que embora o xadrez possua quatorze séculos, muito está para ser feito no campo do procedimento de ensino-aprendizagem , através dessa nova alternativa educacional, que se caracteriza como excelente meio de recreação e de formação do caráter dos jovens. (Referencial:MEC)


Autora: Amelia Hamze
Profª FEB/CETEC e FISO
Colunista Brasil Escola

Trabalho Docente - Educador - Brasil Escola

PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola