Topo
pesquisar

Orientação Educacional

Orientação Educacional

Orientação educacional refere-se ao processo de direcionamento do aluno, visando ao seu pleno desenvolvimento como estudante e como cidadão.
PUBLICIDADE

 Orientação educacional refere-se à assistência dada ao educando a fim de oportunizar seu pleno desenvolvimento, mediando a relação entre o ambiente escolar, a família e a comunidade.

A orientação escolar prevê ações planejadas que integrem alunos, professores, direção, currículo escolar e comunidade a fim de promover, de forma humanizada, o desenvolvimento físico, pessoal, intelectual e moral do discente.

Objetivos

- Garantir o desenvolvimento pleno do aluno por meio de atividades contextualizadas que o integrem a tudo aquilo que exerce influência sobre sua formação.

- Promover a mediação entre aluno, família, escola e comunidade, atendendo às necessidades educacionais e emocionais do educando.

- Ajudar o aluno a construir uma visão, na qual ele se descubra, desenvolva e saiba seu lugar no mundo por meio da afetividade e da relação com os demais.

- Orientar o aluno com base nos objetivos atuais de educação, visando à sua formação consciente.

- Adaptar o aluno ao meio em que está inserido.

Objetivos da Orientação Escolar
Os objetivos da orientação escolar estão relacionados com o desenvolvimento do aluno não só no processo de ensino, mas também como cidadão.

História

A orientação escolar está ligada à formação das sociedades, quando os homens passaram a preocupar-se não só com a própria sobrevivência, mas também com a de seu semelhante. Dessa forma, desenvolveram grupos destinados a orientar quem necessitava de ajuda.

A orientação educacional surgiu nos Estados Unidos, na primeira década do século XX, por meio da orientação profissional. Foi incluída nas escolas pelo educador Frank Parsons, com o objetivo de orientar os alunos para a escolha profissional. Seu método de orientação vocacional baseava-se em três ações:

- Conhecer o aluno;

- Conhecer o mundo do trabalho;

- Ajustar o indivíduo ao emprego.

Cabia, portanto, ao orientador conhecer as habilidades e as dificuldades do aluno, suas experiências e limitações.

Com a instituição dos princípios da educação, como vocação e formação do caráter, a orientação educacional difundiu-se nos Estados Unidos. Foi necessário, então, criar um órgão especializado em orientar os alunos. Para isso, os responsáveis pela orientação dos alunos deveriam ter alguma formação. Dessa forma, as universidades incluíram em seus programas seções para formar orientadores.

Leia também: Como escolher uma profissão?

Orientador educacional

Nas instituições escolares, o orientador educacional é quem direciona o processo educacional, juntamente com professores, coordenação e profissionais da gestão. Essa equipe busca a formação integral e o desenvolvimento pleno do aluno por meio do trabalho com toda a comunidade.

A atividade exercida pelo orientador educacional passou por diversas transformações, adaptando-se às novas realidades sociais. Antes, era voltada à orientação profissional; agora, é direcionada ao coletivo, ao desenvolvimento social, político, emocional e moral do aluno.

Saiba mais: O papel do educador do ProJovem

É papel do orientador fortalecer a relação entre a realidade escolar e a realidade da comunidade, visto que é de extrema importância que os alunos tenham consciência do meio em que vivem e do seu papel nele. Além disso, o que acontece no âmbito familiar reflete no contexto escolar, influenciando todo o processo de ensino-aprendizagem.

A atual realidade tem demandado cada vez mais a presença de orientadores educacionais nas escolas. Mediar conflitos, trabalhar com a indisciplina, auxiliar os professores a lidarem com as limitações dos alunos são necessidades que têm atraído esses profissionais para o âmbito escolar.

Nessa perspectiva, o orientador desenvolve métodos que auxiliam a relação entre o corpo docente, o corpo discente e a comunidade, contextualizando as experiências a fim de atender às necessidades do aluno e de todos os envolvidos.

O comprometimento com a construção do indivíduo para o exercício da cidadania é a premissa máxima do trabalho do orientador educacional. Assim, além do compromisso com o conteúdo escolar e com o ensino-aprendizagem, é preciso estar comprometido com a individualidade de cada aluno, oferecendo uma educação que se preocupe com a formação intelectual, crítica, socioafetiva e moral desse cidadão.

Atribuições do orientador educacional

Segundo o decreto-lei nº 72.846/73, que regulamenta o trabalho do orientador educacional, são atribuições desse profissional:

  • Planejar e coordenar o funcionamento do serviço de orientação educacional em nível de escola e comunidade, dos órgãos do serviço público federal, estadual e autárquico.

  • Participar da elaboração do currículo pleno da escola.

  • Coordenar a orientação vocacional, a informação educacional e profissional, o processo de sondagem de interesses e aptidões e as habilidades do educando.

  • Participar do processo de identificação das características básicas da comunidade e da clientela escolar.

  • Sistematizar o processo de intercâmbio das informações necessárias ao conhecimento global do educando.

  • Participar do processo de recuperação e avaliação dos alunos.

  • Fazer o acompanhamento dos alunos e encaminhá-los para especialistas.

  • Participar do processo de integração entre escola, família e comunidade.

Orientador educacional
O orientador educacional é o agente transformador e mediador do processo de ensino-aprendizagem.

Orientação educacional no Brasil

A orientação educacional no Brasil iniciou-se como vertente de orientação profissional, em 1920. O primeiro passo foi dado por meio do Serviço de Orientação Profissional e Educacional, criado por Lourenço Filho, diretor do departamento de Educação do estado de São Paulo, em 1931.

Somente em 1940, o termo "orientação educacional" na legislação brasileira, especificamente no decreto-lei nº 4.073, de 30 de janeiro de 1942.

No ano de 1947, foi criado o Instituto de Seleção e Orientação Profissional no Rio de Janeiro, difundindo pelo país a orientação profissional voltada ao desenvolvimento do aluno para o mercado de trabalho.

A Lei de Diretrizes e Bases nº 4.024/61 instituiu a orientação educacional nas escolas de ensino primário e médio. Estabeleceu também regras para a formação do orientador educacional.

Na década de 80, a orientação educacional ganhou um novo viés, visando promover uma orientação voltada ao coletivo, preocupando-se não só com a formação profissional, mas também com a formação política e social dos alunos.

A partir de 1990, a orientação educacional não apresentou novas conquistas em relação à legislação. A LDB desse período apenas menciona a questão da formação do orientador educacional em nível de pós-graduação, não havendo nenhuma outra transformação acerca da orientação educacional.

Leia também: A escola como espaço de inclusão no cenário de desiguldades 


Por Rafaela Sousa
Graduada em Geografia

A orientação educacional visa ao pleno desenvolvimento do aluno, priorizando a relação entre o ambiente escolar, familiar e a comunidade.
A orientação educacional visa ao pleno desenvolvimento do aluno, priorizando a relação entre o ambiente escolar, familiar e a comunidade.

Artigos de Orientação Educacional

A escola e a família na educação da criança com deficiência

PUBLICIDADE

Dicas para lidar com o comportamento agressivo na escola

Elaborando a matriz curricular de forma coletiva

Lidando com a síndrome da Hiperatividade e Déficit de Atenção

Os benefícios de trabalhar a motricidade refinada na educação infantil

Os diferentes estilos de aprendizagem de cada criança

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola