Topo
pesquisar

Construindo uma campainha

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE

O experimento abaixo é considerado de baixo custo, pois os materiais para sua construção são de fácil aquisição. Desta forma, o professor pode levá-lo como forma de auxiliá-lo na explanação do conteúdo de campo magnético. Sendo assim, podemos dizer que esta é uma demonstração simples e interessante.

A figura abaixo nos mostra que a montagem não é a rigor, pois esta campainha não bate em uma campânula sonora. Porém, quando o grampo de cabelo aberto vibra, ele bate na cabeça do prego e produz um ruído muito legal. A figura abaixo mostra como fica o experimento após montado.

Figura: 1 – eletroímã, 2 – grampo cabelo, 3 – alfinete, 4 – pilha, 5 – chave
Figura: 1 – eletroímã, 2 – grampo cabelo, 3 – alfinete, 4 – pilha, 5 – chave

Material a ser utilizado

- uma pilha grande (alcalina e nova) com suporte
- um eletroímã de prego

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

- um alfinete (com suporte)
- um grampo de cabelo aberto (raspado nas pontas)

Quando encostado à ponta do alfinete, o grampo vibrante funciona como chave, assim ele liga e desliga o circuito. Quando o eletroímã é ligado, o grampo de cabelo é atraído por ele. Ao ser atraído, desliga o eletroímã e volta, ligando novamente o circuito e o eletroímã. Desta forma, isso se repete constantemente, assim esse “liga-desliga” origina a vibração do grampo de cabelo e o ruído da campainha.

Essa vibração, no entanto, depende de pacientes ajustes, sobretudo na posição e curvatura da lâmina e na melhor localização do alfinete. Além disso, em pouco tempo de funcionamento a região de contato da ponta do alfinete se carboniza, interrompendo o contato elétrico. Isso exige constante manutenção.

Em geral, nas campainhas de verdade, como as dos telefones antigos, a lâmina vibrante tem um martelinho na ponta que bate numa campânula metálica.

Por Domiciano Marques
Graduado em Física
Equipe Brasil Escola

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola