Whatsapp

Correção e reescrita

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE


Reescrever: uma atitude que faz toda diferença!

Para que se tenha um texto bem escrito, alguns pontos importantes são necessários à reflexão: o tipo de texto, a intenção ao escrever, o leitor. Além disso, o aluno ou qualquer escritor deve cogitar como abordará o tema proposto ou escolhido.

Após planejar a forma como irá escrever, o aluno faz o registro, de preferência em um rascunho primeiramente, do que projetou em pensamento. Feito isso, é hora de revisar o texto e observar:

- Se a linguagem está apropriada ao tipo de texto;
- Se o leitor ou público-alvo vai entender sem problemas o que está escrito;
- Se o objetivo do texto foi cumprido: informou?, orientou?, transmitiu conhecimento?, emocionou?, etc;
- se não há frases repetitivas ou períodos com o mesmo significado;
- se não há períodos muito longos dificultando o entendimento;
- se não há palavras repetidas;
- se há fuga ao tema em determinadas passagens;
- e por fim, não se esqueça da ortografia!

O professor deve orientar o aluno a reescrever o texto se for necessário, após a correção feita pelo educador.

Contudo, antes de tudo, é bom lembrar que os princípios apontados no primeiro parágrafo devem ter sido discutidos. Assim, quando o texto for corrigido, o professor já saberá para quem está destinada a produção textual, a finalidade e a estrutura que deve ser seguida e, portanto, verificar se está coerente com o que foi proposto ou não.

Quando o estudante receber a redação, deverá ser orientado a reescrevê-la, sempre observando as correções feitas. Se ainda precisar de algum ajuste, é interessante que o professor sente com o aluno que apresenta dificuldades, converse e o ajude a reescrever o texto. Após duas ou três vezes de ajuda, é hora de deixá-lo fazer sozinho!

Cada texto e reescrita do mesmo deverão ser grampeados, a fim de que haja organização e maior percepção da evolução na escrita. A redação final será o produto de todo trabalho efetuado e, portanto, motivo de orgulho para o aluno que, dessa forma, poderá verificar seu progresso em suas próprias mãos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Sabrina Vilarinho
Graduada em Letras
Equipe Brasil Escola

Português - Estratégias de ensino - Educador - Brasil Escola

Artigos Relacionados
Tentativa, erro/acerto: Uma interessante proposta de aula sobre erros gramaticais.
Em busca da coerência e da coesão: uma divertida sugestão de aula de língua portuguesa.
O diagnóstico das competências se faz necessário com turmas do 6º ano. Atenha-se a mais detalhes e confira esse importante procedimento!
  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola