Whatsapp

Estudando a gripe

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE


Em surtos de gripe, o uso de máscaras é indicado.

A gripe é uma doença viral bastante confundida com o resfriado, e até mesmo com alergias respiratórias. Um simples espirro, para muitos, já é sinônimo desta, contribuindo para a sua banalização.

Causada pelo vírus Influenza, de fato possui sintomas parecidos com os dessas outras manifestações (tosse seca, febre alta, dor de garganta e de cabeça); porém com intensidade bem maior, sensação de cansaço e dor muscular. Pessoas com imunidade mais baixa podem desenvolver quadros de pneumonia, ou mesmo perder a vida; sendo esse o motivo pelo qual são feitas campanhas anuais de vacinação contra a gripe.

Tais campanhas são realizadas em nosso país, geralmente, entre os meses de abril e maio. Essa data é justificada pelo fato de anteceder ao inverno: época em que as pessoas tendem a se aglomerar por causa do frio, propiciando a transmissão do vírus.

A vacina não previne a gripe em si, já que seu vírus causador tem alta capacidade de mutação, criando novos tipos. Considerando este fato, a imunização é feita com as cepas principais do vírus e as três mais recentes, reduzindo consideravelmente a incidência de doenças respiratórias, internações e mortes decorrentes da gripe.

A ocorrência de surtos de gripe A no México, Estados Unidos, Espanha, Canadá e outras regiões do globo terrestre, reflete bem essa capacidade mutante do vírus. Causada pelo Influenza tipo A/H1N1 modificado, é resultante da união de material genético de cepas da gripe humana, aviária e suína, que extrapolou a barreira de espécies e passou a atingir humanos, sendo mais transmissível que o da gripe aviária.

Assim como qualquer outra doença transmitida pela saliva e gotículas desta, cobrir nariz e boca ao espirrar, lavar constantemente as mãos e evitar contato próximo com pessoas doentes são formas simples e eficazes de não se contaminar pelo vírus, e tampouco transmiti-lo a outras pessoas. Vale ressaltar que não se adquire a gripe A ao consumir a carne de porco.

É muito importante que tais informações sejam assimiladas por seus alunos, já que os sintomas e prevenção contra a gripe são semelhantes. Outro motivo que faz esta temática ser de grande valia se refere ao hábito incorreto que muitas pessoas têm de se automedicar, podendo inclusive provocar novos tipos deste vírus. Além disso, como muitos de seus alunos possuem avós, ou mesmo pais com idade acima de sessenta anos, saber um pouco mais sobre esta doença também permite que informem essas pessoas a respeito da importância da vacinação, e compreendam seus mecanismos.

Seminários, debates, criação de cartilhas, solicitação de resumos sobre o tema, apresentação teatral, criação de paródias, dentre outras estratégias, podem ser utilizadas para tal.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia
Equipe Brasil Escola

BiologiaEstratégias de Ensino - Educador - Brasil Escola

Artigos Relacionados
Confira algumas estratégias de como trabalhar a gripe H1N1 em sala de aula!
  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola