Whatsapp

Freio magnético

Estratégias de ensino-aprendizagem

O freio magnético utiliza as interações eletromagnéticas entre um sistema em movimento e um sistema em repouso para dissipar energia e reduzir a energia total do sistema.
PUBLICIDADE

Esta atividade experimental tem por objetivo abordar alguns conceitos já estudados no eletromagnetismo. Nela serão trabalhadas as leis de indução de Faraday e Lenz. A fim de demonstrar esse experimento, alguns materiais são necessários:

- um tubo oco de cobre de cerca de 30 cm de comprimento;
- um tubo oco de acrílico de mesmo tamanho e diâmetro do tubo de cobre;
- um ímã cilíndrico que caiba dentro dos tubos;
- um cilindro de metal de mesmo tamanho e massa do ímã cilíndrico;
- uma bússola e um prego para ilustrar que o material é ímã.

Primeiramente, o experimento pode ser realizado com o tubo de acrílico. Com esse tubo, meça o tempo de queda do cilindro de metal e do ímã cilíndrico ao passarem pelo interior do tubo de acrílico. Após essa verificação você perceberá que os tempos de queda dos dois objetos (metal e ímã) são iguais.

Em seguida, o experimento deve ser realizado com o tubo de metal. Usando o tubo de cobre, meça o tempo de queda do metal cilíndrico e do ímã cilíndrico, ao passarem pelo interior do tubo de cobre. É interessante perceber que o ímã não atrai o tubo de cobre pelo fato de o cobre não ser um material ferromagnético.

Ao colocar o ímã dentro do tubo de cobre você perceberá que o tempo de queda do ímã é muito maior do que o tempo de queda do metal cilíndrico. Após essa observação, a seguinte pergunta pode ser feita: qual seria a explicação para esse efeito, uma vez que o tubo não é atraído pelo ímã?

Ao verificar o tempo de queda, você perceberá que o ímã cai com velocidade constante. Para que ele caia com velocidade constante, já que atua sobre a força peso, é necessário que exista uma força de igual intensidade, porém com sentido para cima, atuando sobre o ímã. Você pode fazer o seguinte questionamento: mas de onde surge essa força, uma vez que o ímã não é atraído magneticamente pelo material de cobre? A explicação para tal acontecimento tem como base as leis de Faraday e Lenz.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como dissemos anteriormente, o cobre não é um material ferromagnético, portanto não atrai o ímã e nem é atraído por ele. Porém, quando o ímã é abandonado no interior do tubo de cobre, ele faz com que um campo magnético passe por todo o interior do tubo. Sendo assim, cada anel do tubo de cobre tem comportamento igual a uma bobina ou uma espira.

Dessa forma, há um campo magnético variado criado porque o ímã está descendo, gerando uma força eletromotriz induzida de acordo com a Lei de Faraday. Essa força eletromotriz induzida provoca uma corrente elétrica pelo fato de o circuito ser fechado e essa corrente elétrica induzida obedecer à Lei de Lenz.

Obedecendo à Lei de Lenz, ela vai criar um campo magnético que se contrapõe com a que a originou, criando então uma força magnética para cima. Sendo assim, teremos a força peso puxando o ímã para baixo, uma força magnética para cima e a resultante entre as duas forças será igual a zero. Isso faz com que o ímã, ao passar pelo tubo, sofra uma resultante igual a zero e caia com movimento uniforme.


Por Domiciano Marques
Graduado em Física

Artigos Relacionados
Construção de um acelerador magnético que acelera esferas metálicas através do campo magnético.
Veja aqui como realizar uma aula prática demonstrando o campo magnético de uma espira.
Estudo experimental de um movimento retilíneo uniforme.
  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola