Whatsapp

O Conto que eu li – incentivo à leitura e oratória.

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE


”O conto que eu li” – circuito de leitura que garante resultados entre os alunos.

A prática de ler é muito escassa em nossas escolas e também ao alunado de maneira geral. Generalizando o assunto, não há muitos incentivos por parte do professor, nem tão pouco das escolas em incitar o aluno a ler, principalmente os adolescentes.

Uma dica de aula para professores de 5º ao 9º ano da segunda fase é promover o circuito de leitura anual “O conto que eu li”.

Anualmente, a professora passa uma pequena lista de oito livros de contos para os pais, os quais poderão comprar a cada início de bimestre. Durante o ano letivo o estudante deverá ler todos os livros propostos e, a cada bimestre, um.

No decorrer da semana, uma aula de português será destinada ao circuito de leitura “O conto que eu li”: o aluno sorteado pelo número de chamada deverá ir à frente e contar em poucas palavras dois contos que leu do livro.

À medida que um conto for exposto não poderá ser mais lido por outro aluno.

O estudante que não quiser ir à frente não poderá ser forçado e terá a opção de na próxima aula trazer o resumo dos contos com suas próprias palavras.

Caso um aluno não seja sorteado para ir à frente, não há problema, a nota não será diminuída, já que terá oportunidades no próximo bimestre, bem como durante todo ano letivo. Contudo, o aluno que já tenha exposto os contos de um determinado livro não poderá mais participar até o próximo livro indicado.

Não poderá haver contestações sobre um aluno ir mais a frente do que outro, já que a seleção será por sorteio de números e também porque a finalidade é incentivar a turma a ler mais, de modo geral.

Se um aluno que for chamado não expor a história ou não fazer um resumo da mesma, terá obrigatoriamente sua nota reduzida.

O professor ficará atento para anotar os alunos que foram e os que não, para que não se contradiga na hora da somatória para obtenção da média final.

Essa atividade além de incentivar a leitura, incentiva também a oratória, pois o estudante terá que ir à frente da sala para contar a história que leu. Além disso, a exposição da história gera no ouvinte uma expectativa de saber o final ou de se preparar para não ser pego de surpresa!

Importante: o livro deve ser de contos, já que a leitura é mais fácil, rápida e conseqüentemente o resumo oral também.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Sabrina Vilarinho
Graduada em Letras
Equipe Brasil Escola

Português - Estratégias de Esnino - Educador - Brasil Escola

  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola