Whatsapp

Recomendações para evitar surtos da gripe A e outras doenças infecciosas

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE


É importante utilizar lenços descartáveis ao espirrar ou limpar o nariz, eliminando-os em seguida.

A gripe A tem a mesma forma de transmissão e prevenção que a gripe comum e outras doenças cuja infecção se dá pelas vias respiratórias. Considerando o aumento do número de casos desta em nosso país, é interessante que se tenha determinados cuidados em ambientes nos quais há um grande número de pessoas no mesmo espaço, já que tal fator aumenta as chances da propagação da doença. Assim, a escola se torna um importante foco de atenção, sendo interessante criar um canal de articulação com os pais dos alunos.

Primeiramente, é necessário conhecer aspectos relacionados à Influenza A para que, assim, não ocorram más interpretações nem alarmismos desnecessários. Indicamos a leitura dos textos "Gripe A" e "Estudando a gripe".

Considerando que o vírus pode permanecer ativo em superfícies e objetos por até oito horas, e que as mãos são importantes veículos de contaminação, pela facilidade de entrar contato com estes locais, lavá-las frequentemente com água e sabão ou soluções alcoólicas, por pelo menos 20 segundos; evitar o contato destas com os olhos, boca e nariz; e limpar periodicamente superfícies com desinfetantes ou detergente podem auxiliar neste sentido. Além disso, manter salas e espaços de uso comum bem arejados e cobrir a boca e nariz com lenço descartável ou papel higiênico ao espirrar ou tossir, eliminando-o logo em seguida; são medidas igualmente importantes.

O problema é que nem todas as escolas possuem sabonetes disponíveis em seus banheiros; e alguns, nem ao menos toalhas descartáveis ou papel higiênico, para que os membros da escola sigam corretamente estas orientações. Assim, é necessário que se tenha atenção a este aspecto. Instalar dispositivos com soluções à base de álcool, em locais estratégicos também pode ser uma ideia a se executar.

Estes indivíduos devem ser orientados a notificar à direção caso tenha os seguintes sintomas: dor de cabeça, garganta e nos músculos; arrepios, tosse, febre abrupta, cansaço e, em alguns casos, diarreia e vômitos; ou simplesmente febre acima de 38ºC. Tais pessoas devem procurar rapidamente por auxílio médico, preferencialmente em hospital de referência, sendo afastadas do ambiente escolar por pelo menos sete dias, ou até que recebam alta. Caso seja confirmado, é necessário o uso de máscara protetora e lenço descartável por elas e por aqueles de sua convivência.

Por último, é importante ressaltar que pessoas cujo sistema imunológico está comprometido estão mais sujeitas a infecções e suas complicações. Assim, o hábito de se ingerir alimentos variados, em horários regulares, e evitar o estresse são duas boas formas de estar quite com O sistema imunológico. Os pais dos alunos podem reforçar, em casa, tais princípios, estimulando os filhos a boas práticas de saúde.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia
Equipe Brasil Escola

Biologia - Estratégias de Ensino - Educador - Brasil Escola

Artigos Relacionados
Confira algumas estratégias de como trabalhar a gripe H1N1 em sala de aula!
  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola