Topo
pesquisar

Estudando a anatomia dos peixes

Estratégias de Ensino

A utilização de espécimes de peixes para estudo de sua anatomia facilita a fixação do conteúdo.
PUBLICIDADE

É comum ficarmos presos ao quadro e giz quando estamos em uma instituição com poucos recursos. Entretanto, quando o conteúdo é seres vivos, podemos mudar esse quadro. A metodologia aqui proposta busca um método barato para o ensino do conteúdo sobre peixes.

Primeiramente, é importante que todo o conteúdo teórico já esteja fixado pelos alunos, assim eles poderão interagir mais na aula prática.  A aula será baseada no estudo prático da anatomia dos peixes. Inicialmente os alunos poderão falar que conhecem bem a anatomia desses animais, entretanto a maioria nunca viu um peixe com todos os órgãos internos intactos.

Para a aula, você vai precisar de um peixe, luvas e bisturi. É importante lembrar que, ao comprar o peixe, você deve deixar claro que não quer que ele seja limpo. Pode ser difícil encontrá-lo inteiro em supermercados, o ideal é ir a uma peixaria. Refrigere o peixe, mas não deixe congelar, pois irá dificultar a aula.

Mostre aos alunos, inicialmente, a parte externa. Faça com que eles sintam as escamas e o muco no corpo. Observe também a linha lateral, a posição das nadadeiras, a abertura do ânus, a boca, os olhos e as narinas. É importante que você retire o opérculo para a visualização das brânquias, caso esteja observando um peixe ósseo.

Após a verificação de toda a parte externa, faça uma abertura na região ventral do peixe com a ajuda de um bisturi. Tente mostrar a maior quantidade de órgãos que conseguir. É importante verificar a presença da bexiga natatória.

Se possível, tente levar um peixe ósseo e um cartilaginoso, assim você poderá focar na diferença entre eles.

Esta é uma metodologia barata e fácil de realizar e, com certeza, seus alunos irão adorar.

Boa aula!


Por Vanessa dos Santos
Graduada em Biologia

PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola