Topo
pesquisar

Algumas inovações fazem a diferença no momento da avaliação literária

Orientações

PUBLICIDADE


A leitura precisa fazer sentido para quem a pratica

O propósito de despertar nos alunos o gosto pela leitura é uma tarefa difícil, isso decorre por meio de uma infinidade de fatores advindos do próprio convívio familiar e da sociedade de uma forma geral, com todos os aparatos tecnológicos que a mesma oferece, e que de maneira contundente influencia as pessoas.
Com isso, o educador precisa elaborar estratégias eficazes no intento de fazer com que a problemática se amenize e que, de certa forma, haja a ruptura dos parâmetros baseados na leitura vista como objeto avaliativo, ou seja, o aluno apenas lê para obter a pontuação exigida por esta ou aquela disciplina.
Agindo desta forma, não há prazer pela leitura, uma vez que a mesma torna-se muito superficial e, sobretudo, não acontece a apreensão da mensagem e da essência do discurso como um todo.

Outro fator relevante é a escolha do que será proposto no que se refere à literatura, pois
esta deverá ser condizente com a faixa etária dos leitores. Atualmente eles se tornaram bastante exigentes, gostam de ler aquilo que lhes prende a atenção e desperta fascínio.
Algumas posturas adotadas por parte do professor podem contribuir para que os alunos se sintam mais motivados no momento da leitura, facilitando assim a compreensão do conteúdo e permitindo o retorno tão esperado, que é a boa desenvoltura nas atividades avaliativas propostas.
Entre elas estão dois elementos primordiais, que são: Inovação e Incentivo ao despertar da criatividade diante daquilo que foi lido. Por isso, segue algumas estratégias que contribuirão para o objetivo almejado, são elas:

- Propor a interdisciplinaridade com a leitura proposta é um ótimo recurso, pois assim o tema será explorado por todos os professores, evidente que cada um irá adequá-lo a sua área de atuação. Além das disciplinas comuns, poderá ser trabalhada a questão dos valores morais e éticos dentro da Ética, por exemplo.

- Determinar um momento das aulas pra a discussão do livro literário, promovendo um debate, propondo um seminário. Medidas como estas despertam a oralidade e visão crítica dos educandos diante da realidade que os cerca.

- No caso da leitura poética, sugerir uma releitura através da criação feita pelo próprio aluno, com isso poderá ser realizado um jogral, um concurso de poesias, entre outros.

- A dramatização desperta o instinto de criatividade, pois os alunos se sentem motivados em demonstrar seu poder inovador em representar através de encenações, gestos e personagens aquilo que foi apreendido através da leitura realizada.

Outro fator que deve ser levado em consideração é a escolha de um local diferenciado
para a apresentação dos trabalhos realizados pelos alunos, uma vez que “os artistas” precisam ficar conhecidos por toda a escola, com isso floresce ainda mais o interesse em demonstrar as múltiplas habilidades inerentes aos mesmos.
Estas são mais algumas das infinitas possibilidades aplicadas no universo da interação Professor X Aluno e podem ser de grande eficácia para o trabalho docente.

Por Vânia Duarte
Graduada em Letras
Equipe Brasil Escola

OrientaçõesEducador - Brasil Escola

PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola