Whatsapp

A Reescrita de textos aprimora a produção textual

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE


Reescrever um texto significa moldá-lo visando à perfeição


Se tomarmos a palavra reescrita no seu sentido literal, concluímos que se trata de algo ligado à correção de possíveis falhas durante a construção textual.

Mas neste contexto, ela deve ser entendida como um auxílio, principalmente ao nos referirmos à produção de textos narrativos.

Normalmente, a prática pedagógica se dá da seguinte maneira: O educador determina a tipologia textual a ser desenvolvida durante esta ou aquela aula.

De posse dessa incumbência, o aluno apresenta traços de dificuldade em construir um enredo coeso e coerente com vistas a atender a exigência preestablecida.

Cabe ao educador usufruir de estratégias múltiplas no intuito de “capturar” as dificuldades apresentadas e colocá-las em prática, de modo a superar os obstáculos.

Representando essa multiplicidade de estratégias está a reescrita de textos mudando o foco narrativo, os personagens, narrador, espaço e outros elementos relevantes ao texto narrativo. Tendo como suporte um outro texto já apresentado pelo professor.

Concretizando, portanto, será necessária uma leitura prévia do texto padrão, na qual deverão ser enfatizados pontos de extrema relevância, tais como:

- A maneira pela qual o narrador iniciou a história.

- Como ele delineou seus personagens, destacando traços característicos, como o perfil físico e psicológico dos mesmos.

- A linguagem utilizada para expressar sentimentos e emoções.

- O modo pelo qual sucederam os fatos durante o desenrolar da trama.

- O momento mais emocionante dentro da narrativa, destacando o clima de suspense provocado por parte do leitor.

- O objetivo do narrador em determinar um final para a trama, seja este triste, cômico ou dramático, entre outros.


Caso seja possível, sugerir que a mudança do foco narrativo seja para a primeira pessoa, isto é, para um narrador-personagem, pois ao participar da história o aluno se sentirá mais motivado a ser o sujeito de sua própria criação. Portanto, terá mais incentivo em “dar asas à imaginação”, incrementando mais o enredo e, consequentemente, tornando-se autor de um excelente texto.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Vânia Duarte
Graduada em Letras
Equipe Brasil Escola

Português - Estratégias de Ensino - Educador - Brasil Escola

Artigos Relacionados
Em busca da coerência e da coesão: uma divertida sugestão de aula de língua portuguesa.
O diagnóstico das competências se faz necessário com turmas do 6º ano. Atenha-se a mais detalhes e confira esse importante procedimento!
  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola