Whatsapp

Adaptação no Processo Evolutivo

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE


Mariposas e o processo evolutivo

Promover a realização de momentos de internalização dos conteúdos propicia ao educador momentos de grande satisfação e reconhecimento. Direção, pais e os próprios alunos valorizam esses momentos em que a criatividade e o lúdico realmente despertam aquilo que torna o homem diferente dos demais animais, a capacidade de ensinar e aprender.

Dentro desta proposta de promover momentos de aprendizado, apresentamos uma estratégia simples e bastante oportuna, podendo ser realizada no pátio, salas de aula ou até mesmo em um corredor. Entretanto, o planejamento desta atividade deve coincidir com o estudo dos processos de evolução, a fim de que a prática possa ser entendida, mas nada impede que seja realizada para demonstrar a dinâmica ecológica com alunos da primeira ou segunda fase do ensino fundamental.

A sugestão seria recriar um evento de observação que se chama melanismo industrial. Basicamente, um médico inglês observou a mudança na frequência populacional entre duas espécies de mariposas em bosques ingleses. Observou que onde não havia poluição, os troncos das árvores eram claros e nestes lugares a população de mariposas claras eram maiores. Com o incremento da industrialização, o ambiente foi modificado pela poluição e os troncos das árvores ficaram cobertos de fuligem, escurecendo. Passado algum tempo, esse médico observou que a população de mariposas brancas havia diminuído e as escuras agora estavam em maior quantidade.

Essa observação é uma evidência do processo de seleção natural, apresentado por Charles Darwin. Para remontar essa observação, escolha um ambiente que apresente uma parede ou piso de cor uniforme; pode ser uma parede toda clara ou um piso todo escuro. Observe se existem outros lugares com a mesma característica e avalie o melhor lugar para montar o “experimento”.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Recorte borboletas com a cor que se assemelhe à do lugar escolhido e outras borboletas com uma cor de contraste. Por exemplo, se a parede for branca, as borboletas deverão ser da cor branca e outras escuras (preto, vermelho, azul). Cole as borboletas alternadas no local de modo que fiquem ao nível dos olhos dos alunos. Monte esse mesmo procedimento em vários locais, se for possível pense um local para representar as fases da história, uma sem poluição e outra poluída.

Forme pequenos grupos com os alunos e, à medida que forem se aproximando dos locais, oriente-os que contem e anotem quantas borboletas veem, claras e escuras. Não antecipe detalhes da história! Finalizado o percurso, os grupos apresentarão seus dados e terão um momento para comentar por que não viram todas as borboletas.

Conte a história ocorrida na Inglaterra, destaque a importância dos fatores adaptativos, como a camuflagem, por exemplo, e reforce que os alunos desempenharam o mesmo papel dos pássaros que se alimentavam das borboletas. Instigue os alunos a tentar, em seus grupos, explicar por que as populações se alternaram de acordo com as mudanças ocorridas no meio ambiente.

Finalizando a atividade, os grupos apresentarão suas conclusões que deverão ser ouvidas e comparadas. Para concluir a aula, uma pequena atividade referente ao assunto estudado deve ser passada aos alunos para ser respondida individualmente, de preferência em casa. Sugira que os alunos, durante a atividade de casa, pesquisem mais sobre o assunto e apresentem na aula seguinte.

Fabrício Alves Ferreira
Graduado em Biologia
Equipe Brasil Escola

Biologia - Estratégias de Ensino - Educador - Brasil Escola

  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola