Whatsapp

Coleta e tipagem sanguínea

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE


Os soros anti-A e anti-B são capazes de detectar a tipagem sanguínea da amostra.

Como é sabido, existem indivíduos com sangue dos grupos A, B, AB e O, dependendo da presença/ausência de determinados antígenos nas hemácias. A presença de aglutinogênio A, presença de aglutinogênio B, presença de aglutinogênio A e B e ausência de aglutinogênios, respectivamente, é o que caracteriza cada um deles.

Partindo deste princípio é que doações de sangue são feitas:

 

TIPO SANGUÍNEO

RECEBE

DOA

A

A e O

A e AB

B

B e O

B e AB

AB

A, B, AB e O

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

AB

O

O

O, A,B e AB


Receber a doação de sangue de tipo incompatível pode acarretar em reações alérgicas, ou até mesmo na destruição de hemácias, pelo próprio sistema imunitário do paciente.

Assim, anticorpos anti-a e anti-b são empregados para análise laboratorial, a fim de identificar a tipagem do grupo sanguíneo, tanto do receptor quanto do doador de sangue. Eles determinam a presença ou ausência dos antígenos a e b no sangue.

Em sala de aula pode ser desenvolvida uma atividade interessante sobre esta temática. Para tal, é necessário, antes de tudo, pedir uma autorização da diretoria, já que amostras de sangue e objetos perfurocortantes serão utilizados.

Será imprescindível o uso de jaleco, luvas e sapato fechado; e pessoas com cabelo de tamanho maior deverão prendê-lo. Tais cuidados impedem a possibilidade de acidentes mais sérios e também instruem seus alunos acerca da biossegurança e procedimentos laboratoriais.

Munido de lâminas, dos soros citados anteriormente, lancetas descartáveis, álcool e algodão, o professor pode solicitar voluntários para o experimento, após introduzir o conteúdo sobre sistema ABO.

Ele mesmo é quem deverá colher três gotas do sangue do aluno, retirado da ponta do dedo indicador, previamente esterilizada com álcool. Tal região deverá ser massageada e depois pressionada (a fim de reter o fluxo sanguíneo), antes de se fazer o furo com a lanceta.

As amostras devem ser colocadas em uma lâmina, tal como mostra a figura que ilustra o texto.

Para cada uma destas, apenas para padronizar o processo, a primeira gota deverá permanecer intacta; a segunda deverá receber o soro anti-a, e a terceira, o anti-b.

Após cinco minutos, observar o aspecto das amostras:

- Se ocorreu aglutinação apenas na segunda gota, o sangue é do tipo A;
- Se ocorreu aglutinação apenas na terceira gota, o sangue é do tipo B;
- Se ocorreu aglutinação na segunda e na terceira gota, o sangue é do tipo AB;
- Se não ocorreu aglutinação, o sangue é do tipo O.

Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia
Equipe Brasil Escola

Biologia - Estratégias de Ensino - Educador - Brasil Escola

  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola