Whatsapp

Conhecendo os morcegos

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE


Uma vez que toda espécie é importante para a dinâmica dos ecossistemas,
e em razão dos morcegos executarem papéis muito importantes, é
importante que sejam bem estudados, eliminando preconceitos.


Diversas vezes associados somente a fatores negativos, como transmissão de doenças, os morcegos são animais pouco conhecidos, e que despertam baixo interesse e grande resistência no público leigo, de uma forma geral. No entanto, se bem explicados certos conceitos, desmistificando ideias preconcebidas, não é difícil se tornar um grande admirador desses animais: os únicos mamíferos capazes de voar.

Diante disso, esse texto tem o objetivo de fornecer algumas informações acerca dos morcegos, para que tais conteúdos possam ser trabalhados, tanto no ensino formal, pelos professores de Ciência e Biologia; quanto no informal.

Para não ficar muito extensa esta produção, serão dados somente pontos norteadores para que o educador busque o devido aprofundamento daqueles tópicos que achar mais relevantes:

• Morcegos pertencem à Ordem Chiroptera (Chiro – mão; ptera – asa). Tal nome se refere às adaptações que tais mamíferos apresentam, capacitando-os para o voo;

• Morcegos não são ratos que criaram asas! Morcegos são... morcegos!;

• Existem mais de 1000 espécies de morcegos em todo o mundo, sendo que somente três destes se alimentam de sangue. O restante se nutre de pequenos animais ou plantas;

• Morcegos hematófagos alimentam-se de aproximadamente duas colheres de sangue de cada indivíduo que visita;

• Na saliva dos morcegos hematófagos há substâncias anticoagulantes e anestésicas. Estas têm sido estudadas por muitos cientistas devido a tais propriedades, visando a fabricação de remédios;


• O sangue da nossa espécie não faz parte da dieta dos morcegos hematófagos;

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

• A audição, olfato e visão dos morcegos são bem desenvolvidos. Além disso, reconhecem o ambiente ao seu redor utilizando-se de um sistema denominado ecolocalização, que funciona tal como um sonar;

• A ecolocalização também tem sido bastante estudada, como forma de serem aplicados os seus princípios na construção de sonares mais eficientes;

• Morcegos podem transmitir raiva, assim como qualquer outro mamífero. No entanto, na maioria dos casos, os responsáveis por isso são os hematófagos, e estes apresentam comportamento característico, quando se encontram infectados por esse vírus: são avistados durante o dia, e caídos no chão, como se estivessem machucados;

• Assim como qualquer outro animal, morcegos só mordem indivíduos de nossa espécie quando são importunados;

• Um único morcego insetívoro é capaz de ingerir 200 insetos em uma noite – inclusive aqueles responsáveis pela transmissão de doenças, como o Aedes aegypti. Assim, além de inofensivo, ainda poupa muitos litros de inseticidas e até mesmo despesas médicas;

• Morcegos são responsáveis pela polinização de mais da metade das angiospermas tropicais, permitindo sua perpetuação e oferta de comida a diversos outros seres vivos;

• Morcegos também ajudam na dispersão de sementes, propiciando, além das vantagens óbvias, a regeneração de habitats destruídos.

O site do Projeto Morcego Livre disponibiliza, na sua seção de Educação Ambiental, alguns vídeos interessantes e breves, que podem ser utilizados como forma de aprimorar a atividade.

Bom trabalho!
 

Veja mais!
Morcegos

 

Por Mariana Araguaia
Bióloga, especialista em Educação Ambiental
Equipe Brasil Escola

Biologia - Estratégias de Ensino - Educador - Brasil Escola

 

  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola