Whatsapp

Desvendando o império asteca

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE

Empreenda uma atividade em que os alunos descubram a complexidade do povo asteca.

 


O estudo das civilizações pré-colombianas constitui uma ótima oportunidade para que os alunos possam exercitar a sua visão sobre a cultura e reconhecer a riqueza das civilizações que não compartilham de seus códigos de conduta. Ao contrário do que se imagine, o reconhecimento da diversidade cultural não exige a apreensão de um arcabouço teórico e conceitual tão complexo. Através de uma simples atividade, o aluno pode ver que os modos de ser e agir são diversos e não podem ser hierarquizados.

Na atividade aqui apresentada, sugerimos ao professor que reúna a turma em um grande circulo ou em grupos menores para a realização de uma simples atividade. Nesse caso, retomando o fato de que o continente americano era povoado antes da chegada dos europeus, peça aos alunos que descrevam (seja por meio de um texto ou de uma imagem) o cotidiano desses povos nativos. Reservando um tempo para tal atividade, estabeleça um segundo momento em que as imagens e textos possam ser discutidos.

Após registrar as opiniões e impressões dadas por cada aluno ou grupo, exponha um relato feito pelos espanhóis assim que chegaram na cidade de Tenochtitlán, capital do império asteca. Distribuindo pequenos exemplares ou em uma tela maior, ofereça a leitura do seguinte texto:

“Quando lá chegamos, ficamos atônitos com a multidão de pessoas e a ordem que prevalecia, assim como com a vasta quantidade de mercadorias. Cada espécie tinha seu lugar particular, que era distinto por um sinal. Os artigos consistiam em ouro, prata, joias, plumas, mantas, chocolate, peles curtidas ou não, sandálias e outras manufaturas de raízes e fibras de juta, grande número de escravos homens e mulheres, muitos dos quais estavam atados pelo pescoço, com gargalheiras, a longos paus.” (MEGGERS, B. J. América pré-histórica. 1972)


Realizando a leitura desse texto, peça que os alunos construam uma comparação entre o relato dos viajantes espanhóis e o relato por eles imaginado. Na produção desse texto comparativo, enfatize quais práticas e características constavam no relato dos explorados hispânicos que se mostrava ausente ou oposto ao que cada aluno/grupo tinha imaginado em relação aos povos astecas. De tal maneira, os alunos acabam inseridos em um rico processo de desconstrução dos primeiros habitantes da América.

Em termos gerais, podemos mostrar nesse tipo de exercício reflexivo, que o fato das civilizações pré-colombianas serem antigas não implica na adoção de um modo de vida mais simples ou precário. Com isso, os alunos passam a internalizar a ideia de que a cultura não se organiza em opostos como “avançado x atrasado” ou “simples x complexo”. Na qualidade de um exercício primário, tal atividade pode ajudar para que eles mais tarde reconheçam temas da sociologia e da antropologia com mais facilidade.


Por Rainer Sousa
Graduado em História
Equipe Brasil Escola

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

 

 

 

 

História - Estratégias de Ensino - Educador - Brasil Escola