Whatsapp

Jornal impresso – inserindo a informação em sala de aula

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE


Alunos lendo jornal em sala – uma idéia de leitura a ser trabalhada pelos educadores

Não podemos limitar os alunos a um só tipo de linguagem, isso é o mesmo que limitar a visão crítica do aluno quanto ao mundo que está inserido e inibir a sua reflexão.

A inserção do jornal impresso em sala de aula é importante, já que hoje a maioria das pessoas tem sua formação crítica a partir de algo que leu na mídia. E é por esse motivo que os alunos devem começar a formar sua visão crítica a respeito do que lêem ou do que vêem desde cedo, na própria sala de aula. Para isso, o educador deve começar a aula lendo uma notícia de sábado ou domingo do jornal impresso e perguntar aos alunos se alguém a leu e se gostaria de comentá-la. Ao final da aula, o professor debate com os alunos a importância da leitura do jornal e a finalidade de saber o que acontece na sua cidade e também no mundo. Então, o professor coloca como “agenda” para a próxima aula, trazer uma notícia do jornal de sábado ou domingo colada no caderno, com o título, a fonte e o autor.

Na sala de aula, os alunos lêem as notícias escolhidas que foram publicadas no jornal e se inicia uma discussão sobre os assuntos das reportagens escolhidas, a troca de idéias e a discussão sobre o que está acontecendo no mundo e também nas regiões do local de residência de cada um. Se acaso uma notícia sair igual à outra, não há problema, pode ser uma oportunidade para a exposição de pontos de vista diferentes. É importante que também a professora leve sua notícia para comentar com os alunos, e dessa forma, seja exemplo para sua turma.

Os alunos vão começar a encarar a leitura de jornal como hábito e irão tirar tabus quanto ao fato de só os adultos comprarem e lerem jornais ou de que o jornal se resume na página principal, nos classificados ou nas páginas de esporte; imagem que geralmente as crianças observam nos adultos, principalmente aos finais de semana quando o volume de compras é bem mais considerável.

O professor fixará um dia da semana para essa discussão, como segundas ou terças-feiras, já que estão mais próximas ao fim da semana. O educador deve estar atento aos alunos, cujos pais não são leitores assíduos de jornais e por isso, provavelmente, não terão as notícias todas segundas ou terças-feiras. Neste caso, a sala pode ser dividida em grupos, os quais ficam responsáveis por trazer em uma semana, e na outra não, e assim por diante. O importante é que o educador forme no aluno a necessidade de estar informado sobre os acontecimentos políticos, públicos, nas áreas de saúde e também de esportes. Eles estarão informados sobre um novo medicamento que surgiu, sobre as novas pesquisas tecnológicas, sobre o significado das siglas que giram em torno do mundo financeiro, etc., além de terem uma visão crítico-reflexiva sobre os fatos que acontecem, através das comparações de reportagens, ponto de vistas e discussões em sala de aula.

Os alunos podem ainda, montar um jornal ao final de cada mês com as principais notícias selecionadas por votação pelos próprios estudantes, e claro, sob a supervisão do professor. Ou ainda, fazer um mural na própria sala com as principais notícias.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Sabrina Vilarinho
Graduada em Letras
Equipe Brasil Escola

Português - Estratégias de Esnino - Educador - Brasil Escola

Artigos Relacionados
A língua como objeto de análise: a linguagem jornalística em sala de aula.
  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola