Topo
pesquisar

O filme Sete anos no Tibet em aulas de Geografia

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE


Imagem do Tibet.

O filme Sete anos no Tibet é baseado em uma história real, que retrata a trajetória de um alpinista austríaco chamado Heinrich Harrer, interpretado por Brad Pitt. Toda a trama se passa nas paisagens montanhosas da Cordilheira do Himalaia. Esse filme mostra o alpinista que tem a oportunidade de conhecer a cultura e o modo de vida de um vilarejo localizado no Tibet.

Trazendo para a Geografia, o filme exibe um leque abrangente de aspectos geográficos que podem ser analisados durante ou após uma aula de conteúdos relacionados. O professor pode utilizá-lo em diferentes temas e conteúdos, entre os quais podemos exemplificar: a trama acontece durante a Segunda Guerra Mundial, e o alpinista Heinrich Harrer, um militante nazista, fica detido na Índia pelas tropas inglesas, um dos principais inimigos dos nazistas. Esses dados relacionam diretamente com a geopolítica, uma vez que envolvem os bastidores do confronto.


Imagem do filme "Sete anos no Tibet", do roteirista Becky Johnston,
baseado no livro de Heinrich Harrer e distribuído pela Columbia TriStar Pictures.

Quando conseguiu fugir da Índia, o alpinista ficou dois anos andando em lugares repletos de tundras e gelos, nesse momento o professor poderá abordar o tipo de vegetação que ocorre na região, destacando que a mesma é resultado do tipo de clima que predomina no local. Além disso, expor que as baixas temperaturas que prevalecem é decorrente das elevadas altitudes. Incluindo ainda que esse tipo de relevo se formou em virtude do encontro de placas tectônicas. Evidenciando que esse fenômeno é responsável pela formação da Cordilheira do Himalaia, onde se encontra o ponto mais alto do mundo, o Everest, que tem 8 844,3 metros de altitude.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Em determinado momento do filme o alpinista se torna o tutor do jovem Dalai Lama, e novamente é possível relacionar os fatos apresentados com a Geografia, pois o protagonista ensina ao jovem elementos da cultura ocidental, como a língua inglesa e as características da natureza ocidental. Por outro lado, essa relação transforma o alpinista, uma pessoa arrogante, mesquinha e ambiciosa, em um ser humano melhor. Nesse aspecto o professor deve destacar o intercâmbio cultural que se desenvolve na trama.

Assim, nesse filme é possível associar os conteúdos de clima, relevo, vegetação, acontecimento histórico e relações culturais.
Essa é apenas uma das várias reflexões que podem ser extraídas do mesmo, mas sem dúvida é uma ótima opção para aulas de Geografia e outras disciplinas.

Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

Geografia - Estratégias de Ensino - Brasil Escola

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola