Topo
pesquisar

Passeio à Óptica

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE

As lentes de óculos provêm de reações químicas.


Talvez não seja do conhecimento de seus alunos que na Óptica (recinto onde se comercializa óculos) se esconde uma variedade de materiais cuja composição é uma verdadeira aula de Química. Com base neste princípio, por que não realizar uma atividade extracurricular se baseando nas reações decorrentes da fabricação de lentes?

Antes de tudo é preciso entender o objetivo principal deste contexto: a composição química das lentes usadas em óculos.

É com base nas reações de oxirredução que podemos explicar a química envolvida nas lentes fotossintéticas, também conhecidas como fotossensíveis. A diferença nesse tipo de lente começa pela sua composição: o vidro das lentes se forma quando átomos de oxigênio tetraédricos se ligam com silício dando origem a uma estrutura cristalina de cloreto de prata. Essa estrutura se encontra desordenada, de forma que existem brechas entre os átomos, sendo assim, a luz visível passa através desta estrutura.

A vantagem destas lentes é que elas não deixam a radiação ultravioleta passar, elas absorvem essa luz originando uma reação de oxirredução entre íons de prata e cloro. Veja a equação:

Ag+ + Cl- → Cu2+ + Cl-

Seria interessante inserir no contexto as lentes de polipropileno, já que elas se encaixam no conteúdo de química orgânica, mas precisamente na parte de polímeros. O polipropileno é um polímero, ou melhor, um plástico enrijecido, este material permite que as lentes fiquem mais leves, mesmo aquelas que possuem altos graus, ou seja, a mesma lente fabricada com o vidro comum seria bem mais pesada do que as lentes poliméricas.

A seguir, algumas sugestões de como aplicar esses conceitos:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Realize um passeio à Óptica mais próxima: esta sugestão permite uma visualização por parte dos alunos das lentes citadas. Enriqueça o conteúdo estudado mostrando a diferença entre as lentes comuns e as fotossensíveis, e ainda a leveza adquirida pelas lentes de polipropileno.

Aprofunde o conteúdo no laboratório: algumas ópticas possuem laboratório próprio, onde são confeccionadas as lentes. Uma visita a este local ofereceria uma melhor exposição do conteúdo devido à possibilidade de acompanhar de perto todo o trabalho na obtenção dos variados tipos de lentes, desde o preparo da matéria-prima até o produto final.

É claro que esta é uma atividade que requer um pouco mais de cuidado, se o laboratório não oferece segurança é melhor uma visita superficial apenas na Óptica.

Observação em sala de aula: se não for possível nenhuma das visitas citadas acima, é possível realizar uma aula interessante utilizando materiais que imitam as lentes. As lentes fotossensíveis podem ser imitadas por óculos de sol escuros ou chapas de radiografia, todos estes materiais bloqueiam os raios solares.

Peça aos alunos para trazerem de casa (se tiverem) as lentes especificadas, e destaque a vantagem das lentes fotossensíveis para os olhos: elas bloqueiam os raios ultravioletas. Os jovens atualmente são grandes consumidores de óculos escuros, sendo assim é importante que saibam os riscos oferecidos pela radiação solar.

Esta aula, além de colaborar para o ensino de Química, alerta ainda sobre as vantagens na escolha de bons óculos para a segurança da saúde ocular.

Por Líria Alves
Graduada em Química
Equipe Brasil Escola

 

 

 

 

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola