Whatsapp

Slogans do populismo

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE


Jânio Quadros (esq.) observando um quadro com o desenho de uma vassoura, símbolo de sua campanha presidencial.

Durante a história político brasileira, viveu-se um período em que a democracia estabeleceu suas bases por meio da ampliação do direito ao voto. Com o fim do Estado Novo, os brasileiros passaram a escolher diretamente quais seriam os representantes políticos que chefiariam as esferas do poder estadual, municipal e federal.

Nessa época, que vai dos anos de 1945 a 1964, o populismo seria uma prática política comum. Para viabilizar a apreensão deste conceito entre os alunos, o professor pode requerer que os mesmos façam uma rápida pesquisa em algum dicionário. Depois de encontrado o termo, peça para que algum deles leia qual a definição fornecida pelo dicionário.

Depois de anotadas no quadro-giz a definição do termo “populismo”, o professor pode perguntar se hoje existe algum político que promove uma ação populista. Ao longo da discussão, elabore um quadro de anotações onde os alunos mesmo opinem sobre quais comportamentos que um político de natureza populista possui. A partir disso, interrompa a discussão demonstrando como a propaganda política incorpora o discurso do populismo experimentado entre as décadas de 1940 e 1960.

Chegando a um consenso de que o populista se preocupa em rechear seus discursos de campanha com promessas de caráter imediatista e miraculoso, o professor pode demonstrar alguns dos slogans que marcaram a trajetória de alguns políticos como Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek e Jânio Quadro. Levantando os slogans que marcou a trajetória de cada um desses candidatos, o professor pode empreender uma interessante atividade.

De forma bastante simples, o alunos devem investigar em alguma fonte escrita que discuta a origem de determinados slogans de campanha. Pode-se questionar porque Getúlio ficou conhecido como “pai dos pobres”. Em outra possibilidade de trabalho, descobrir o sentindo da música de Jânio Quadro, que dizia: “Varre, varre. Vassourinha” ou analisar porque JK prometia “50 anos em 5”.

Entrelaçando pesquisa, com fontes históricas e a discussão do conceito de populismo, os alunos têm a oportunidade de entender uma parte da nossa história por meio de seus bordões.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Rainer Sousa
Graduado em História
Equipe Brasil Escola

História - Estratégias de Ensino - Educador - Brasil Escola