Whatsapp

Socialismo e religiosidade

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE

Como o socialismo compreendeu a religião?


Como compreender o desenvolvimento de uma determinada corrente de pensamento científico? Sem dúvida, esse é um tipo de questão que incomoda muitos professores de História e Sociologia durante o seu trabalho em sala de aula. Isso, muitas vezes, porque se torna bastante complicado querer resumir em tópicos ou em uma única resposta toda uma gama de elementos e questões que contribuem para o nascimento de uma forma de compreensão do mundo.

Ao estudarem o desenvolvimento do socialismo científico, muitos alunos têm uma curiosidade especial em questionar qual a relação dessa teoria com o mundo das crenças religiosas. Geralmente, esse interesse se fundamenta em opiniões provenientes do senso comum sobre o socialismo em si ou, até mesmo, por conta daquela célebre (e polêmica) frase onde o pensador alemão Karl Marx afirma que a “religião é o ópio do povo”. Contudo, qual a relação do socialismo com a religião?

Para abordar essa temática em sala de aula, o discente pode primeiramente desconstriur o sentido dessa frase mostrando-a em meio às idéias trabalhadas na obra “Crítica da Filosofia do Direito de Hegel”, onde Marx registrou a referida citação. Contudo, antes disso, sugerimos que os alunos façam uma breve discussão ou produzam um texto onde falem sobre como eles interpretam a frase do pensador socialista em questão. Passado algum tempo, deixe que os mesmos digam sobre sua opinião aos colegas de turma.

Nesse exercício inicial de interpretação, o professor vai registrar algumas das opiniões no quadro e, além disso, salientar aos seus discentes que eles nada mais fazem do que tentar descobrir o que Karl Marx queria dizer com aquilo. Passada essa primeira etapa, é chegada a hora de trabalhar junto com a classe uma parte do texto onde a frase foi encontrada. Se preferir, o mestre pode deixar que os próprios alunos levem o texto como uma segunda atividade.

Neste novo exercício, sugerimos que o aluno faça a leitura de todo o trecho e faça uma nova interpretação daquilo que foi dito pelo pensador alemão. Depois disso, pergunte no mesmo exercício se a primeira interpretação do que foi dito por Marx deve ser mantida ou modificada mediante a exposição do contexto da frase. Independente da resposta dada, peça para que o estudante justifique a sua resposta. Na aula seguinte, discuta as opiniões produzidas.

Mediante esse tipo de debate, o professor tem a oportunidade de demonstrar uma face do pensamento socialista e, ao mesmo tempo, expor as nuances e obstáculos que se configuram na compreensão de uma determinada idéia. Para terminar esta atividade, sugerimos que o professor trabalhe o lugar ocupado pela religião na Rússia pós-revolucionária. Com isso, o conteúdo se encerra em um exemplo prático das conseqüências alcançadas pela interpretação do pensamento socialista.


Por Rainer Sousa
Graduado em História
Equipe Brasil Escola


História - Estratégias de Ensino - Educador - Brasil Escola

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola