Topo
pesquisar

Suavizando o discurso: uma sugestão de aula sobre eufemismos

Estratégias de Ensino

Esta sugestão de aula sobre eufemismos é um importante instrumento para a análise dos diversos discursos aos quais estamos expostos em nosso dia a dia.
PUBLICIDADE

Professor, você já pensou em trabalhar a Análise do Discurso com seus alunos do Ensino Médio? Pois saiba que as aulas de língua portuguesa sobre figuras de linguagem podem ficar muito mais ricas se você propor aos alunos que eles desvendem as intenções que permeiam os diversos atos de fala nos mais variados gêneros textuais.

Nossa proposta “Suavizando o discurso: uma sugestão de aula sobre eufemismos” tem como objetivos permitir que os alunos percebam os diferentes modos de elaboração do discurso e o impacto que as escolhas vocabulares exercem sobre a comunicação. Através da análise de textos literários e não literários, os alunos deverão observar as consequências do emprego de eufemismos no âmbito discursivo e também produzir textos utilizando esse interessante recurso da linguagem que ameniza expressões historicamente desagradáveis, termos politicamente incorretos, além de exercer uma importante função para a manutenção das relações sociais. Para a realização da aula, que poderá ser desenvolvida em dois ou mais encontros, acompanhe as etapas descritas a seguir:

Proposta de aula sobre eufemismos:

Distribua cópias das tirinhas abaixo:

O eufemismo pode mascarar as verdadeiras intenções do discurso, suavizando-o ou “maquiando-o”
O eufemismo pode mascarar as verdadeiras intenções do discurso, suavizando-o ou “maquiando-o”

Amenizar ou suavizar a linguagem através do emprego de eufemismos pode ajudar na manutenção das boas relações sociais
Amenizar ou suavizar a linguagem através do emprego de eufemismos pode ajudar na manutenção das boas relações sociais

Peça que os alunos analisem o discurso adotado nas tirinhas. Eles devem discutir o papel exercido pelos termos eufêmicos nas duas situações e o impacto das escolhas vocabulares no âmbito discursivo. Na tirinha de Laerte, os eufemismos foram empregados para amenizar a agressividade da fala da personagem, transformando drasticamente os sentidos do discurso. Na tirinha de Charlie Brown, a falta de polidez na fala de uma das personagens fez com que o personagem-título preferisse omitir o que ouviu em nome da boa convivência entre Lucy e Patty Pimentinha.

Além das tirinhas, você também pode distribuir frases nas quais constem eufemismos e solicitar que os alunos retirem-nos em uma atividade de reescrita. Posteriormente, discuta com a classe a diferença de sentidos que a adaptação provocou:

"A mentira é uma verdade que se esqueceu de acontecer."  Mario Quintana.

“Não chorem! que não morreu!/ Era um anjinho do céu/ Que um outro anjinho chamou!/ Era uma luz peregrina,/ Era uma estrela divina/ Que ao firmamento voou!”. Álvares de Azevedo.

“Quando a Indesejada das gentes chegar/ (Não sei se dura ou caroável),/ talvez eu tenha medo./ Talvez sorria, ou diga:/ - Alô, iniludível!”. Manuel Bandeira.

“Os amigos que me restam são de data recente; todos os antigos foram estudar a geologia dos campos santos.” Machado de Assis.

Ao final da atividade, mostre para seus alunos que nem sempre a substituição de uma palavra mais “agressiva” por outra mais “suave” é apenas uma questão semântica ou de adequação vocabular. O uso de eufemismos está relacionado com a materialização de uma ideologia, provando que utilizamos a linguagem para disseminar, ainda que inconscientemente, nossas crenças e ideais (elementos que podem ser identificados através da Análise do Discurso).


Por Luana Castro
Graduada em Letras

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola