Topo
pesquisar

Animação sobre a Terra no Universo

Estratégias de ensino-aprendizagem

Uma animação elaborada pelo IBGE para demonstrar as relações de grandeza da Terra no Universo.
PUBLICIDADE

Muitos estudantes conhecem a expressão: “a Terra é apenas um grão de areia perante a grandeza do universo”. Mas será que eles realmente possuem consciência da real proporção da Terra em relação ao universo que a circunda?

Para atrair a atenção dos alunos, o professor de Geografia pode utilizar essa temática através da apresentação de uma animação sobre o assunto. O uso desse tipo de ferramenta pode ser importante para que os estudantes adquiram uma melhor visão sobre as principais características do planeta Terra em relação à grandeza conhecida do universo.

Assim, projetando uma animação elaborada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) – que pode ser acessada através deste link –, através do uso de um projetor de imagens de computador, o professor poderá ir comentando alguns temas referentes ao universo durante a aula.

Reprodução do início da animação, da maneira como ela deve aparecer em sua tela
Reprodução do início da animação, da maneira como ela deve aparecer em sua tela

O primeiro dos temas abordados pela animação é a Teoria do Big Bang. Ela surge das estimativas apontadas pelos cientistas de que o universo tenha surgido de uma grande explosão, ocorrida há cerca de 13 bilhões de anos. Explosão essa que ainda estaria em curso, criando espaço e tempo, bem como sendo responsável pela expansão do universo.

Ao clicarmos na seta localizada no canto superior direito da tela, a animação avança, mostrando a estrutura estimada pelo universo, que, segundo estimativas recentes, possui cerca de 156 bilhões de anos-luz, o equivalente a 9,5 trilhões de km de largura, e que continua sempre aumentando.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Em seguida, temos o chamado supercúmulo, que seria uma zona localizada entre regiões em que não é possível detectar praticamente nenhum tipo de matéria. Trata-se de algo muito gigantesco, com proporções inimagináveis. Conforme a própria animação nos informa, a luz leva cerca de 100 milhões de anos para atravessar o supercúmulo sobre o qual a Terra se encontra.

Dentro do supercúmulo, temos o grupo local, ou cúmulo, composto pela grandiosa Galáxia de Andrômeda, além de outras galáxias menores, como a Via láctea, na qual a Terra está localizada.

Após uma explicação sobre a grandeza e magnitude da Via Láctea, chegamos finalmente ao Sistema Solar, que nada mais é do que um ponto microscópico localizado em algum lugar de sua estrutura. No Sistema Solar, temos uma ilustração, em escala, do Sol e dos principais planetas que o circundam.

Um desses pequenos planetas é a Terra, que é, portanto, um pequeno lugar onde toda a história da humanidade aconteceu. É interessante a observação presente na animação de que, durante muito tempo, acreditamos ser a Terra o centro do Universo, o que podemos notar que é algo completamente errôneo.

Sugerimos que, ao longo de cada passo das animações, o professor realize alguns comentários sobre a estrutura do universo, das galáxias, do Sistema Solar e, principalmente, da Terra. Ao final da apresentação, o professor poderá clicar em “saiba mais” para apresentar os movimentos da Terra e os fenômenos a eles relacionados, como os Solstícios e Equinócios, bem como as estações do ano.

 

Por Rodolfo Alves Pena

Graduado em Geografia

O Universo é extremamente grande em relação à Terra
O Universo é extremamente grande em relação à Terra
O Monte Everest é uma evidência da ação das Placas Tectônicas sobre o relevo
Estratégias de ensino-aprendizagem Animação sobre o Monte Everest
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola