Topo
pesquisar

Uso de música para o ensino da história do Império Romano

Estratégias de ensino-aprendizagem

Nesta dica de aula abordaremos a possibilidade de se realizar o ensino da história do Império Romano a partir do uso de músicas em sala de aula.
PUBLICIDADE

O Império Romano foi uma das mais importantes civilizações da história da humanidade, e o legado dos romanos está presente atualmente em diferentes aspectos, sobretudo da sociedade ocidental. A história romana iniciou-se basicamente a partir de 753 a.C., com a fundação da cidade de Roma, e estendeu-se por centenas de anos. O Império teve fim em 476 d.C., com a desagregação do Império Romano do Ocidente. Se considerarmos Constantinopla e a porção oriental, a história romana estendeu-se até 1453.

Ao longo das aulas de história, os alunos vão estudando o desenvolvimento da história romana de maneira cronológica. Assim, estuda-se em sala a respeito da fundação da cidade (em 753 a.C.) e, a partir daí, ministram-se as aulas de acordo com as diferentes fases da história romana: monárquica, republicana e imperial.

Esse percurso permite ao aluno ter uma compreensão do desenvolvimento e crescimento do império, sobretudo a partir do período republicano, com as guerras sendo travadas contra os povos vizinhos da Península Itálica e, posteriormente, contra os cartaginenses etc. Paralelamente a isso, os alunos estudam o desenvolvimento da sociedade romana, a posição ocupada por patrícios e plebeus e os conflitos que a desigualdade causava.

O período final da República romana é conturbado e marcado por ditaduras, guerras civis, rebeliões de escravos etc. O fim da República ocorreu com a coroação de Otávio Augusto (em 27 a.C.) e, assim, teve início a fase imperial. Essa fase é marcada inicialmente por uma grande prosperidade e relativa paz (Pax Romana).

Por fim, a partir do século II-III d.C., iniciou-se a fase da decadência romana, na qual a sociedade e economia romana começaram a entrar em colapso. Esse processo ganhou dimensões catastróficas com as invasões dos povos germânicos. O fim da parte ocidental do Império ocorreu quando os hérulos invadiram Roma em 476 d.C.

Métodos de abordagens de temas históricos

Como é de conhecimento de todo professor, atualmente, existem diversas facilidades para se trabalhar assuntos e eventos históricos em sala de aula. Essas facilidades são proporcionadas, muitas vezes, pela utilização de recursos tecnológicos, tais como a transmissão de filmes, reprodução de músicas, amostragem de imagens etc.

Além disso, também podem ser utilizados outros tipos de recursos, como livros que abordam determinado contexto histórico, quadrinhos etc. Veja as abordagens apresentadas em Segunda Guerra Mundial, Guerra da Bósnia e Bombardeio atômico sobre o Japão.

No caso de Roma, a história dessa civilização também pode ser estudada a partir de diferentes abordagens que saíam do tradicionalismo da aula expositiva com uso do quadro-negro ou branco, utilização de slides e/ou leitura do livro didático. Para Roma, essas abordagens podem ser feitas a partir de filmes, como Spartacus (1960) e Gladiador (2000), além das séries, destacando-se Roma (2005-2007) e Spartacus (2010-2013).

Uso da música para o ensino da história de Roma

A utilização de música em sala de aula já é alvo de intenso debate pela historiografia. Diversas publicações analisam a importância de se utilizar esse recurso e a melhor forma de utilizá-lo para que não se torne algo banalizado ou sem muito propósito.

Em assuntos que se referem a civilizações da Antiguidade e à história medieval, é muito comum que bandas de heavy metal façam essa abordagem, trazendo, inclusive, eventos relacionados de pouco conhecimento entre os alunos e, muitas vezes, até dos próprios professores.

Sobre a história romana, uma das bandas mais conhecidas que abordam em suas letras eventos peculiares a essa civilização é a banda canadense Ex Deo. Essa banda surgiu na cidade de Montreal, em 2008, e é enquadrada pelos especialistas da área no estilo Death Metal Sinfônico (uma derivação do Heavy Metal). Ao longo de sua trajetória, a banda produziu três álbuns:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
  • Romulus (2009): centrado na fundação da cidade de Roma a partir da lenda de Rômulo e Remo;

  • Caligvla (2012): centrado na personalidade do famoso imperador romano Calígula, conhecido por ter sido um imperador cruel;

  • The Immortal Wars (2017): centrado em Aníbal, famoso comandante cartaginês que lutou contra os romanos durante a Segunda Guerra Púnica.

Para conhecer melhor o repertório e as letras da banda, cabe ao professor realizar uma análise para melhor utilização em sala, desde que haja interesse do professor. De qualquer forma, seguem alguns exemplos de músicas da banda e uma breve análise do respectivo contexto que ela aborda.

  • Romulus (2009)

Essa música faz menção a Rômulo, o fundador da cidade de Roma e o primeiro imperador da cidade. A música aborda a lenda que envolve a fundação da cidade e a disputa realizada entre Rômulo e Remo. Dentro da historiografia, sabe-se que a fundação da cidade de Roma foi resultado da fusão de diferentes tribos latinas que habitavam a região do Lácio. A fundação de Roma foi realizada a partir da visualização de presságios e realização de rituais religiosos conforme narrou Fustel de Coulanges em seu “A Cidade Antiga”.

De toda forma, é de conhecimento de todo historiador que uma lenda a respeito da fundação da cidade de Roma era muito conhecida nos tempos do Império Romano e era utilizada para justificar uma predestinada vocação de Roma para a prosperidade. A lenda de Rômulo e Remo tem também grande influência de elementos da mitologia grega.

Nessa lenda, Rômulo e Remo eram filhos do deus romano Marte (o deus da guerra) e, após serem abandonados em uma cesta, foram jogados no Rio Tibre. Foram encontrados por uma loba, que os amamentou e, logo em seguida, por um pastor de ovelhas chamado Fáustulo, que criou ambos.

Posteriormente, Rômulo e Remo fundaram uma nova cidade nas margens do Rio Tibre, e um desentendimento surgiu entre os dois irmãos. Nesse ponto, diferentes versões da lenda divergem sobre as causas do desentendimento existente entre Rômulo e Remo. De toda forma, na lenda, Rômulo mata Remo e torna-se o senhor absoluto de Roma, nomeada em sua homenagem.

Aqui cabe a cada professor a forma de melhor utilizar a música, mas a melhor abordagem seria de conciliar a reprodução da música com o clipe oficial produzido pela própria banda. Os alunos, após assistirem ao vídeo, podem ser inquiridos sobre os elementos que conseguiram identificar que fazem menção à lenda. Esse debate realizado em sala pode servir de base para que os alunos produzam um texto a respeito dos elementos que identificaram e da compreensão deles do clipe em relação à lenda citada.

Outros exemplos de músicas que podem ser utilizadas em sala de aula são:

  • Storm the gates of Alesia: essa música aborda a Batalha da Alésia, travada em 52 a.C., quando as tropas de Júlio César venceram as forças dos gauleses, o que garantiu a conquista da Gália;

  • Teutoburg (Ambush of Varus): essa música aborda a Batalha da Floresta de Teutoburgo, que ocorreu em 9 d.C. Nessa batalha, as três legiões romanas, lideradas por Publius Quintilius Varus, foram emboscadas por tropas germânicas e completamente dizimadas.

*Créditos da imagem: Maratr e Shutterstock


Por Daniel Neves
Graduado em História

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola