Topo
pesquisar

Criação de modelos em aula de embriologia

Estratégias de Ensino

A criação de modelos em uma aula de embriologia pode ajudar na fixação do conteúdo e no estímulo ao estudo da matéria.
PUBLICIDADE

O desenvolvimento embrionário é um tema bastante complexo e de difícil visualização por parte dos alunos. Diante disso, é fundamental a criação de aulas práticas que consigam ilustrar o processo e fazer com que o aprendizado seja mais significativo.

A metodologia aqui ensinada fará com que suas aulas se tornem mais divertidas, além de proporcionar uma melhor visualização dos processos que ocorrem durante a formação de um bebê. Para a criação de modelos de embriologia, você poderá usar diversos produtos. Veja a seguir alguns deles:

- Massa de modelar: Para a criação de modelos a partir de massa de modelar, é fundamental que sejam disponibilizados vídeos que possam auxiliar em uma visualização em 3D das estruturas. Isso ajudará na confecção dos modelos. É importante frisar que, para utilizar massa de modelar, é importante ter bastante habilidade manual.

- Isopor: Para realizar modelos de isopor, é fundamental que seja realizada a compra de bolas de isopor maciças, pois assim o aluno poderá fazer o formato das estruturas retirando o excesso de isopor existente. Para a confecção desses modelos, é importante que o professor forneça, além do vídeo em 3D, tinta para pintar as bolas.

- EVA: O EVA, infelizmente, não permite a criação de modelos 3D, entretanto, pode fornecer um modelo bonito e bem acabado. O material é bastante maleável e permite cortes precisos. Sugere-se que esses modelos sejam colados em uma grande placa de isopor forrada com TNT, criando assim uma espécie de painel sobre o tema.

É importante destacar que a criação de cartazes simples e desenhados pode não chamar a atenção dos alunos. Sendo assim, ao criar modelos, tente ser o mais criativo possível, pois somente assim seus alunos vão ser estimulados.

Ao final da confecção dos modelos de embriologia, promova uma exposição na escola e estimule seus alunos a explicarem os processos para os colegas. A responsabilidade de transferir conhecimento para outras pessoas poderá fazer com que os estudantes se sintam estimulados a estudar o tema.

Boa aula e boa criação!


Por Ma. Vanessa dos Santos

Os vírus apresentam diversas diferenças morfológicas.  Observe acima o vírus da Hepatite B
Estratégias de Ensino Confecção de modelos de vírus
Observe a estrutura do DNA para a confecção do seu modelo
Estratégias de Ensino DNA de jujubas
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola