Topo
pesquisar

Aula sobre tipos de relevo

Estratégias de Ensino

Apresentamos aqui uma estratégia para ministrar uma aula sobre os tipos de relevo a partir de metodologias de ensino que facilitem o aprendizado do aluno.
PUBLICIDADE

Sabe-se que o tema relevo, apesar de comum, geralmente gera dúvidas nos alunos, principalmente por conter termos e expressões não tão populares. Para não se tornar um conteúdo maçante e de difícil entendimento, vê-se a necessidade de buscar métodos de ensino que instiguem os alunos a fazer relações entre o tema e o espaço geográfico no qual estão inseridos para que haja uma aprendizagem efetiva.

Geografia e o cotidiano do aluno

Buscar o conteúdo na vivência dos alunos é fundamental no processo de ensino e aprendizagem. O professor de Geografia precisa expandir suas estratégias e propiciar atividades que motivem os estudantes e enriqueçam o conteúdo.

O tema “tipos de relevo” possibilita um trabalho mais prático com os alunos. Primeiramente, é necessário contextualizar o tema, trazê-lo para a realidade dos alunos, buscando aquilo que eles têm de conhecimento prévio. O professor pode perguntar, por exemplo, sobre paisagens que os alunos tenham observado ao longo do caminho entre a casa e a escola ou até mesmo em alguma viagem que tenham feito. Pode questionar também sobre as características dessas paisagens, quais eram os seus formatos, se eram baixas ou altas, e por que possuem características diferentes. Isso é fundamental para que os estudantes estabeleçam uma conexão com o conceito que o professor introduzirá.

Leia também: Como utilizar mapas no ensino de Geografia

Da teoria à prática

Recolhidas as informações, bastar apresentar os tipos de relevo existentes. No quadro, o professor pode fazer colunas e identificar cada relevo e sua definição. É importante fazer uma apresentação clara e objetiva, usando termos que facilitem o entendimento. Depois, o professor deve falar novamente com os alunos sobre as paisagens que eles conhecem e encaixá-las de acordo com as características apresentadas em cada coluna. Se houver possibilidade, pode apresentar aos alunos imagens que representem cada tipo de relevo. Veja um exemplo da estruturação no quadro:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Posteriormente o educador pode sugerir uma atividade mais prática para possibilitar a visualização das formas de relevo: confecção de maquetes. As formas de relevo apresentam características específicas e níveis altimétricos diferentes. Peça aos alunos que representem montanhas, planaltos, planícies e depressões deixando evidentes as diferenças de altitude (mais altas, mais baixas, intermediárias), localização e características de superfície (plana, irregular, acidentada, rebaixada). Na maquete, os alunos podem representar cursos d'água, vegetações, chapadas e serras. Com essa atividade, o professor poderá avaliar se o aluno conseguiu estabelecer conexão entre a teoria e o espaço geográfico.

Para a construção da maquete, os alunos podem utilizar materiais como:

  • Isopor;

  • Tinta guache;

  • Pincel;

  • Argila ou jornais e revistas velhos que podem ser embolados a fim de conseguir a superfície desejada;

  • Gel ou tinta azul para representar rios e mares;

  • Colher ou algum material que dê para retirar algumas partes do isopor e representar uma depressão.

No ensino de Geografia, é fundamental oportunizar momentos de diálogo para dar voz ao conhecimento prévio do aluno. A estratégia de ensino aqui proposta sugere uma nova forma de ensinar o tema “tipos de relevo”, fugindo dos meios tradicionais e propiciando o desenvolvimento do senso crítico dos alunos e de sua capacidade de relacionar o espaço que os rodeia ao conteúdo que lhes é ensinado.

Saiba mais: Dicas para melhorar as aulas de geografia

Veja um exemplo de maquete sobre tipos de relevo
Veja um exemplo de maquete sobre tipos de relevo


Por Rafaela Sousa
Graduada em Geografia

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola