Por Taís Bento e Roberta Bento
SOS Educação é a coluna do Educador feita por Roberta e Taís Bento que trará dicas para pais e educadores a fim de contribuir com a formação de crianças e adolescentes.

Como ajudar nossos filhos no desafio de estudar longe da escola?

SOS Educação

PUBLICIDADE

Mesmo em países que levam a política, saúde e educação a sério, o retorno às aulas está sendo muito complexo. Mesmo quando as escolas reabrirem, ainda teremos um longo período sem que todos possam voltar a ter aulas no formato que conhecemos como “normal”. Precisamos preparar nossos filhos para continuarem longe do aconchego da escola por mais tempo do que gostaríamos.

 As escolas seguem fazendo os ajustes para que os alunos continuem a estudar, com o menor prejuízo possível. E as famílias seguem também com os esforços para que os filhos tenham o menor impacto possível. O que mudou então? A perspectiva do tempo que nossos filhos passariam longe da escola, e a projeção do novo desafio que o retorno à escola vai gerar.

Leia também: Como equilibrar o tempo dos filhos em frente às telinhas durante a quarentena?

Pode respirar fundo, pai/mãe. Na prática, não muda nada em relação ao que está acontecendo agora: a escola do seu filho segue com o formato que vem oferecendo. Mas precisamos fazer alguns ajustes dentro de casa, para que vocês, pais, não fiquem tão sobrecarregados e para que os filhos vejam o momento dos estudos como parte importante da rotina diária.

As crianças e adolescentes conseguem ser responsáveis pelos seus afazeres escolares, por isso é importante deixá-los nas mãos deles.
As crianças e adolescentes conseguem ser responsáveis pelos seus afazeres escolares, por isso é importante deixá-los nas mãos deles.

O equilíbrio na quantidade continua sendo da família. Algumas pequenas mudanças de postura dos pais podem trazer um enorme impacto positivo tanto na rotina da família como no envolvimento dos filhos com o processo de aprendizagem. É hora de ajustar os passos para cansar menos ao longo da caminhada, que ainda segue sem previsão de chegada!

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O grau de importância que nossos filhos dão aos momentos de interação com a professora e com os colegas é proporcional a quanto eles percebem que valorizamos esses momentos. Assistir e participar da aula com seu filho não é valorizar, mesmo que sua intenção seja a melhor.

Se você participa da aula junto com seu filho, tira dele a responsabilidade de ser aluno naquele momento. Ele continua a se portar somente como seu filho. Adivinha quem vai ter que dar conta do aluno depois? Você!

Seu filho que está no Ensino Fundamental já consegue participar das interações com a professora e com os colegas de classe sem a sua presença. Um dos principais fatores que nos trouxe até aqui, como seres humanos em constante evolução, foi a capacidade de adaptação, especialmente quando temos o apoio de pessoas em quem confiamos. E as crianças se adaptam a mudanças com mais facilidade do que nós.

Veja também: Como tirar proveito da quarentena para ensinar boas atitudes aos nossos filhos?

Continua a valer o pressuposto do equilíbrio de acordo com a rotina da família. Se estiver pesado demais, você, como responsável, precisa encontrar o ponto de equilíbrio dentro de casa. Mas nos momentos em que seu filho tiver a interação com o professor, você precisa sair de cena. Se você assiste junto com ele às aulas, na prática mostra que não acredita que ele consiga.

Sim, ele vai se distrair, mas ele também se distrai na sala de aula. Sim, em alguns momentos ele não vai entender tudo o que a professora explicar, mas isso acontece também na sala de aula. Seu papel é fundamental quando a professora não está em cena, assim como era e voltará a ser quando ele puder ir para a escola.

Ensinar o respeito, lembrar regras, como desligar o microfone e prestar atenção na aula, é seu papel, mas não durante os momentos em que a professora assume o papel que é dela. Garantir que ele esteja sentado e pronto para começar no horário marcado continua a ser responsabilidade sua, como antes. Porém, é preciso aproveitar esse momento para que seu filho descubra que ele é capaz de se responsabilizar por rotinas simples, como ir até o lugar onde ele vai fazer a aula e pedir ajuda quando precisar.

Vai ficar mais leve para você. Vai gerar mais aprendizado para seu filho. E a caminhada que ainda é longa vai ser menos cansativa para todos, acredite! Fizemos uma rotina para download gratuito neste momento tão desafiador, baixe aqui.

Nossos filhos só vão descobrir como transformar os momentos de estudo em casa em aprendizado quando nossa postura, atitudes e palavras provarem que acreditamos nesse poder que eles possuem!

Precisamos fazer um pacto e cortar da nossa fala qualquer palavra que sugira falta de capacidade de nossas crianças e adolescentes em superar este momento que vivemos. Muitas vezes nossa crença vem encoberta por nosso desejo de proteger o filho, evitar que se frustre, sonhar com um mundo perfeito, sob medida para ele. Felizmente, para nossos filhos, essa possibilidade não existe. A vida vai sempre trazer desafios e só assim é possível que eles cresçam emocionalmente fortes para enfrentar aquelas dores que beijo de mãe não cura.

Acesse também: Como assumir o papel de responsável dentro de casa?

Vamos olhar para este momento como uma oportunidade única para nossos filhos. Enquanto estão seguros dentro de casa, tendo nosso apoio, precisam criar novas estratégias, formar conexões que não existiam no cérebro, para conseguirem seguir estudando. O quanto vão aprender não importa. O que precisam agora é seguir estudando. Esse esforço vai gerar a “musculatura” cognitiva e emocional necessária para vencer este período, que ficará para a história de vida de cada um deles.

Vamos combinar que, a partir de hoje, deletamos de nosso discurso o “não é para ele/a”, eliminamos de nosso coração o sentimento de pena e trocamos por orgulho pelas pequenas conquistas diárias. E toda vez que bater aquela dorzinha por terem que passar por isso, basta reconhecer que é difícil e reforçar o quanto você sabe que seu filho é capaz. Um sei que está difícil, mas você consegue vai ecoar na mente do seu filho pelo resto da vida, se isso for dito com sua boca, olhos e coração.

 

Por Taís Bento e Roberta Bento  

SOBRE O AUTOR

Taís e Roberta Bento são fundadoras do SOS Educação (site de educação do portal Estadão), palestrantes e responsáveis pela coluna Escola da revista Pais&Filhos. Também são membros do Conselho Acadêmico de Educação da Universidade Simon Fraser (Canadá) e autoras do livro “Socorro, meu filho não estuda!”.

Roberta Bento

Graduada em Letras, Roberta possui especialização em formação de professores de Línguas (International House, na Inglaterra) e pós-graduação em Marketing e em Gestão de Pessoas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Também é especializada em Aprendizagem Baseada no Funcionamento do Cérebro, pela Universidade da Califórnia e Universidade Duke, e em Aprendizagem Cooperativa, pela Universidade de Minnesota e Universidade de San Diego.

Taís Bento

É graduada em Pedagogia pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduada em Marketing pela Fundação Armando Álvares Penteado (Faap). Também possui especialização em Aprendizagem Baseada no Funcionamento do Cérebro e Aprendizagem Cooperativa, pela Universidade de Minnesota e pela Universidade de San Diego.