Whatsapp

Como trabalhar ligações sigma e pi em sala de aula

Estratégias de ensino-aprendizagem

Esta proposta pedagógica aborda uma forma lúdica de trabalhar as ligações sigma e pi em sala de aula, a partir da construção de estruturas moleculares.
O estudo de ligações químicas pode ser favorecido com a utilização de balões
O estudo de ligações químicas pode ser favorecido com a utilização de balões
PUBLICIDADE

Este texto objetiva propor uma estratégia de ensino que auxilie os docentes de Química a trabalhar com ligações sigma e pi em sala de aula, principalmente no Ensino Médio.

Nesta proposta de trabalho com ligações sigma e pi em sala de aula, os alunos terão a oportunidade de construir moléculas e também classificar cada um dos tipos de ligações estabelecidas entre os átomos.

Para trabalhar esse tema, sugiro aos docentes realizar as seguintes etapas:

1a Etapa: Estudo das ligações covalentes

Inicialmente, é fundamental estabelecer o conceito de ligações covalentes com os estudantes, dando ênfase para:

  • A teoria da estabilidade atômica (“a teoria do octeto”);

  • Elementos químicos capazes de realizar ligações covalentes;

  • Número de elétrons na camada de valência de cada átomo;

  • Número de orbitais incompletos na camada de valência de cada átomo;

  • Representação (desenhos) dos orbitais dos subníveis;

  • O número de ligações que cada átomo necessita realizar.

Obs.: Sempre utilize recursos visuais, como imagens em slides ou representações construídas com recursos físicos (como isopor, balões, caixas, etc.) para favorecer o aprendizado e a fixação do conteúdo. Isso vale tanto para a primeira etapa quanto para a segunda.

2a Etapa: Explicação sobre como a ligação covalente ocorre e os tipos de ligações

Nessa etapa, o docente deve trabalhar com os estudantes a ideia da interpenetração dos orbitais atômicos, a formação do orbital molecular e introduzir os conceitos de ligação covalente sigma e pi, além de ensinar como identificar os tipos básicos dessas ligações:

  • sigma s-s

  • sigma s-p

  • sigma p-p

  • pi p-p

3a Etapa: Construção de moléculas e identificação de ligações por parte dos estudantes

Nessa etapa, os alunos devem colocar a mão na massa, ou seja, devem construir uma ou mais moléculas, identificando cada uma das ligações sigma e pi presentes. Para isso, disponibilizamos uma lista de sugestões de materiais de baixo custo que podem ser utilizados:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
  • Bolas de isopor para representar o orbital s do hidrogênio;

A representação do orbital do subnível s é sempre uma esfera
A representação do orbital do subnível s é sempre uma esfera

  • Balões de cores diferentes para representar os orbitais p dos elementos ametálicos como oxigênio, nitrogênio, carbono, etc.;

A representação de um orbital p é sempre uma dupla hélice
A representação de um orbital p é sempre uma dupla hélice

  • Fita crepe ou adesiva;

Obs.: a fita crepe deve ser utilizada para pregar um orbital no outro, de forma a representar a realização de uma ligação sigma, conforme a imagem a seguir:

Interpenetração de orbitais no mesmo eixo (ligação sigma)
Interpenetração de orbitais no mesmo eixo (ligação sigma)

  • Barbante.

Interpenetração de orbitais no mesmo eixo (ligação pi)
Interpenetração de orbitais no mesmo eixo (ligação pi)

4ª Etapa: Avaliação

Por se tratar de uma atividade prática e que inclui a produção, portanto, o envolvimento, é fundamental que os alunos sejam avaliados e valorizados. Assim, seguem algumas sugestões de critérios e formas para avaliá-los:

  • Registro por parte dos alunos dos modelos apresentados pelo docente nas aulas de introdução ao conteúdo;

  • Participação na montagem das estruturas moleculares de forma correta na prática;

  • Correta identificação dos tipos de ligações na estrutura construída.


Por Me. Diogo Lopes Dias

Artigos Relacionados
Prepare uma aula sobre geometria molecular a partir da construção de modelos pelos alunos para a visualização dos ângulos das ligações químicas.
Clique e conheça uma estratégia de ensino para facilitar o aprendizado de hibridização em sala de aula.
Aula experimental sobre o caráter apolar da gasolina.
Teste simples que permite verificar interações entre substâncias.
Aprenda a produzir o etanol ou álcool etílico com uma experiência de química bem simples, que pode ser realizada em sala de aula.
Por meio desse experimento, o professor de Química pode realizar a produção de acetileno e usar tal experiência como subsídio para sua aula sobre os alcinos em nossas vidas.
Conheça uma estratégia de ensino para tratar de diversos assuntos da Química Inorgânica por meio da produção de gás carbônico de forma experimental.
  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola