Museu virtual como recurso didático nas aulas de história

Estratégias de ensino-aprendizagem

PUBLICIDADE

O ensino de história deve ser realizado de maneira que inclua as novas metodologias e que faça uso da tecnologia, um recurso que abre espaço para novas formas de abordar-se os processos históricos. Entre os recursos que podem ser utilizados, estão os museus virtuais, uma nova possibilidade que permite uma análise dos acontecimaentos históricos mediante uma relação com o patrimônio cultural.

Poucos museus ainda disponibilizam seu acervo com visão em 360º, mas alguns, como o Museu da República, permitem que essa experiência aconteça. É uma forma interessante para realizar-se uma nova abordagem da disciplina. Além disso, essa metodologia abre espaço para a valorização do patrimônio histórico e de nossa cultura material.

Tecnologia no ensino de história

Tradicionalmente, o senso comum consolidou uma imagem um tanto negativa do ensino de história. Por mais que o assunto suscite o interesse de muitos alunos, houve sempre a pecha de que o ensino dessa disciplina é chato e cansativo por conta do volume de informações processadas durantes as aulas.

Uma das principais críticas mencionam o fato de que uma aula de história, no sentido tradicional, torna-se quase um monólogo. Pois bem, com as novas tecnologias, algo que se consolidou entre os professores de história é o fato de que o uso de recursos tecnológicos torna a aula mais atrativa para os alunos.

Sendo assim, existem uma série de atividades que podem ser exploradas em sala de aula, como a utilização de filmes e músicas que abordem determinado assunto e que permitam uma reflexão. O uso de fotos e de documentos digitalizados também é um recurso muito importante como forma de tornar as aulas mais modernas. A utilização desses recursos é fundamental porque dinamiza a aula, traz interesse e auxilia no processo de aprendizagem.

Por fim, além dos recursos digitalizados, temos também a possibilidade de utilização de realidades virtuais que podem ser exploradas em sala. Uma dessas maneiras de explorar-se a realidade virtual dá-se na utilização/exploração de artigos da cultura material, e entre os elementos que fazem parte da nossa cultura material estão o patrimônio cultural e os museus. Como abordamos aqui contextos digitais e virtuais, estamos falando então de museus virtuais.

Leia mais: Análise sobre a visitação presencial de museus nas aulas de história

Uso de museus virtuais

A visitação aos museus, tanto presencial quanto virtual, é uma ferramenta metodológica importante para a aula de história.
A visitação aos museus, tanto presencial quanto virtual, é uma ferramenta metodológica importante para a aula de história.

Explorando as possibilidades de novas metodologias no ensino de história e a importância do patrimônio, uma nova ferramenta que surge para ser utilizada pelos professores é a do museu virtual. Essa é uma nova possibilidade disponibilizada pela tecnologia e que permite ao professor fazer uma abordagem analítica da história por meio dos acervos presentes em museus.

A ida ao museu é uma parte importante do aprendizado do aluno, pois coloca-o frente à frente com inúmeros objetos que fazem parte da sua cultura, além de o permitir que ele tenha acesso a objetos de outras culturas. Claro que muitos obstáculos podem atrapalhar ou impedir que o professor vá a um museu com boa frequência.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

As idas aos museus precisam cumprir um papel pedagógico para auxiliar na aprendizagem do aluno. No entanto, quando a presença física não é possível, o museu virtual pode suprir essa carência. Nem todos os museus possuem um acervo disponibilizado de maneira virtual com visão de 360º, por isso é importante o trabalho de pesquisa e preparação do professor para que seja feito um levantamento dos museus que permitem essa experiência.

No caso da disciplina de história, por exemplo, podemos utilizar o acervo digital disponibilizado por alguns museus, como o Museu da República, localizado no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro. Esse museu apresenta um acervo digitalizado com interação relacionada à disponibilização de informações, e toda a visita é realizada mediante narração. Além disso, a visita virtual permite a visualização da instituição em 360º.

Alguns museus trazem um acervo digitalizado que permite que as pessoas possam visualizá-lo em 360º.
Alguns museus trazem um acervo digitalizado que permite que as pessoas possam visualizá-lo em 360º.

A utilização pode ser feita em sala com o professor guiando e abordando os pontos que se quer destacar. Entretanto, o ideal é deixar com que os próprios alunos façam essa visitação virtual para que eles mesmos possam explorar e analisar aquilo que os interesse.

Utilizando, novamente, o Museu da República como exemplo, o professor pode elaborar um passo a passo para auxiliar os alunos na navegação. É importante orientá-los para que eles anotem o que lhes chamou a atenção, e eles podem ainda ser orientados a respeito de pontos aos quais devem prestar mais atenção.

Esse acesso, mesmo que virtual, à cultura material ajuda o aluno a entender como se deu o processo de formação de seu país, faz também com que ele consiga visualizar símbolos de poder e ter uma ideia da importância da preservação do patrimônio.

Acesse também: Como a Copa do Mundo pode ser utilizada para o ensino de história?

Exemplo de abordagem

Mais uma vez, no caso do Museu da República, ele pode ser explorado no ensino de história da república para alunos do 9º ano do Ensino Fundamental e do 3º ano do Ensino Médio. Com base nessa visita virtual, pode-se explorar, por exemplo, a conjuntura política do contexto do suicídio de Vargas, uma que vez que nesse museu existem exposições específicas sobre esse personagem.

Esse museu apresenta cenários para cada momento da república brasileira, portanto, a possibilidade de exploração em sala de aula é bastante ampla, e a conjuntura de toda a história republicana brasileira pode ser analisada por meio da visitação virtual. Outros museus que possuem acervos interativos são o Museu Imperial, que trata sobre o Brasil Império, e a Pinacoteca, que possui um acervo variado sobre obras de arte que tratam de momentos significativos da história brasileira.

No caso da visitação virtual, alguns questionamentos podem ser levantados para que o aluno responda, como: o que chamou a atenção dele, como ele avalia a experiência de visitação virtual, o que ele aprendeu, e o que ele pode sugerir de importante para que seus colegas prestem atenção também.

O professor pode exigir também uma produção textual na qual o aluno fará uma análise acerca da importância do patrimônio histórico, ou uma análise da conjuntura estudada pela qual ele seja instigado a relacionar essa conjuntura com um ou mais itens vistos na visita virtual.

Importância do patrimônio

Por fim, trabalhar com a cultura material reforça a importância do patrimônio histórico. O patrimônio cumpre papel relevante na formação de identidade de um povo e, naturalmente, no processo de formação de cada indivíduo, pois, por meio do patrimônio, o indivíduo apreende os valores que formam o coletivo do local em que está inserido.

O pesquisador Lúcio Menezes Ferreira diz que o patrimônio está diretamente relacionado com o processo de formação da própria cidadania, uma vez que o seu reconhecimento é utilizado para identificar a história de um povo, o local a que ele pertence e até mesmo o idioma que nele se fala|1|.

Desse modo, a utilização do museu virtual em sala de aula pode ser parte desse processo, reforçando-o, mas de uma maneira crítica, para que o aluno entenda o significado que há por trás desse patrimônio.

Notas
|1|
FERREIRA, Lúcio Menezes. Prólogo. In.: CAMPOS, Yussef Daibert Salomão de. Percepção do intangível: entre genealogias e apropriações do patrimônio cultural imaterial. Goiânia: Arraes, 2017, p. 17.

 

Por Daniel Neves Silva
Professor de História