Topo
pesquisar

Atualidades nas aulas de Geografia

Estratégias de Ensino

Apresentar temas de atualidades nas aulas de Geografia, apesar de desafiador, é algo importante para a reflexão e ampliação de temas ligados à sociedade e ao espaço.
PUBLICIDADE

A Geografia, sobretudo os seus aspectos humanos, envolve uma série de conhecimentos que estão em constante transformação. E mesmo a Geografia Física depara-se diante de eventos naturais que se apresentam correlatamente a vários de seus temas, sobretudo no que diz respeito a questões climáticas e grandes catástrofes, a exemplo dos terremotos e tsunamis.

Portanto, saber trabalhar atualidades nas aulas de Geografia é quase que uma obrigação para o professor da área. Contudo, o processo de formação desse profissional nem sempre fornece as bases para que ele consiga trabalhar notícias e informações em sala de aula e cumprir esse desafio de forma adequada.

A primeira questão importante sobre a forma de trabalhar atualidades nas aulas de Geografia é aprender a estimular, por parte dos alunos, a procura por informações. Nesse escopo, é preciso indicar para eles as principais e mais confiáveis fontes de informação.

Dentre essas fontes, destaca-se a TV com os telejornais, pois é um tipo de mídia que todas as classes sociais possuem igual acesso. Mas apenas os telejornais não é o bastante, pois além de apresentarem certas limitações de tempo, esse tipo de mídia nem sempre apresenta um grau de isenção necessário, o que faz com que recebam muitas críticas. Por isso, são importantes os jornais impressos, as revistas e, principalmente, a internet. Segue, abaixo, uma lista de fontes importantes.

Jornais impressos: alguns de circulação nacional, como a Folha de São Paulo e o Estadão, são boas fontes, apesar de que nem sempre imparciais. Recomenda-se também a procura por jornais locais, sobretudo para quem não é de São Paulo e Rio de Janeiro, cidades que concentram a maior parte das notícias em âmbito geral.

Revistas: existem revistas de circulação nacional e mensal. Destaque para a Veja, Istoé, Época, Carta Capital e Caros Amigos. As três primeiras apresentam uma orientação editorial mais voltada para a direita política, enquanto as duas últimas são de esquerda. Mas independente de sua preferência política, é recomendada (principalmente ao professor) a leitura de ambos os lados. Todas essas revistas apresentam-se em forma imprensa e também em bons sites, com textos e informações relevantes.

Internet: atualmente, praticamente todos os veículos de comunicação da TV, do rádio ou impressos possuem um portal na internet com notícias, além de outros portais exclusivamente digitais, a exemplo do Jornal do Brasil e outros. Todos esses sites e informações são reunidos no Google Notícias, que organiza as principais informações por temas, além de oferecer um sistema de busca de notícias antigas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Além disso, devemos destacar o canal de Atualidades do Brasil Escola, que está sempre com textos e resumos sobre os principais temas atuais e recorrentes. Vale a pena a consulta!

Diante desse mar de informações disponíveis para escolha do professor e também dos alunos, cabe ao educador saber trabalhá-las em sala de aula, com destaque para os principais temas em evidência. Uma tática importante é ir sempre comentando, nos inícios das aulas, alguns temas (sobretudo os mais polêmicos ou os mais noticiados), pedindo a opinião dos alunos e corrigindo eventuais enganos.

Destinar aulas específicas para assuntos e notícias atuais também é importante. Nesse ínterim, existem vários métodos para ensinar atualidades, a seguir enumerados:

a) Fornecer, previamente ou não, fotocópias de jornais e revistas com informações de um ou mais assuntos, com leitura interativa e comentários por parte do professor com abertura para opiniões ou comentários dos alunos.

b) Organizar um debate sobre um tema que está em evidência, com um material previamente fornecido. O material deverá conter, além das informações básicas, artigos de opinião claros e bem fundamentados, com diferentes visões sobre o assunto. O objetivo do debate não é necessariamente chegar a uma conclusão sobre temas controversos, mas ampliar o conhecimento por meio da reflexão e busca de informações.

c) Apresentar manchetes e informações através de projeção de imagens (uso do data show). Essa é uma forma de fazer uma leitura conjunta e estimular também os debates e comentários.

Como todo professor de Geografia sabe, vivemos em um mundo globalizado, com um grande fluxo de informações e acontecimentos que se sobrepõem rapidamente. Vemos a história construir-se e transformar-se rapidamente em tempo real. Por esse motivo, cabe ao professor a busca constante e ininterrupta por notícias, para que esteja sempre “por dentro” das novidades e que não seja surpreendido por eventuais perguntas dos estudantes.


Por Rodolfo Alves Pena
Graduado em Geografia

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola