Topo
pesquisar

Aula sobre terremotos e sua distribuição

Estratégias de ensino-aprendizagem

Uma aula sobre terremotos pode ser bastante produtiva através da utilização de textos, imagens e uma interessante animação didática.
PUBLICIDADE

Os abalos sísmicos estão entre os mais temidos acontecimentos da natureza e costumam ocorrer quando há uma acomodação interna da Terra com liberação de energia em pontos de tectonismo e/ou falhamentos geológicos. A seguir, elaboramos uma proposta de aula sobre terremotos para ser trabalhada com alunos tanto do ensino fundamental quanto do ensino médio. O professor deverá realizar as devidas adequações na linguagem conforme a faixa etária de cada turma. Na presente proposição, o professor utilizará três aulas para abordar o tema.

Na primeira aula, o(a) educador(a) deverá introduzir e apresentar a questão dos terremotos, explicitando o conceito e analisando a sua origem. Para isso, recomenda-se a utilização de imagens e do texto existente no Portal Brasil Escola, que pode ser acessado clicando aqui.

Assim, com base na aula expositiva e na leitura do texto, o estudante deverá responder às seguintes indagações:

a) O que são terremotos?

b) Como os terremotos ocorrem?

c) É possível haver terremotos de elevada magnitude no Brasil? Por quê?

Na segunda aula, será possível trabalhar a distribuição geográfica dos terremotos. Para isso, primeiramente o professor deverá explicar a dinâmica do Anel de Fogo do Pacífico, uma região do Oceano Pacífico em que, em razão da elevada interação das placas tectônicas, há uma grande atividade de terremotos e vulcões. Para saber mais, clique aqui.

Em seguida, através de um aparelho de projeção de imagens, como o data-show, o educador deverá exibir um vídeo elaborado pelo PTWC (sigla em inglês para Centro de Alerta de Tsunami do Pacífico). O vídeo tem a duração de dois minutos e trinta e dois segundos e mostra a ocorrência de terremotos em todo o mundo entre 01 de janeiro e 30 de abril de 2014, demonstrando, assim, o quanto esse tipo de manifestação é comum no planeta. A animação está disponível no Youtube e pode ser acessada clicando aqui.

Contudo, antes de passar o vídeo, é importante que o professor explique para os estudantes as legendas do mapa, que indicam, respectivamente, o tempo transcorrido, a profundidade dos terremotos e as suas intensidades, conforme apontado na imagem a seguir:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A legenda do mapa indica o tempo, a profundidade e a intensidade dos terremotos
A legenda do mapa indica o tempo, a profundidade e a intensidade dos terremotos

Nos últimos segundos do vídeo, aparece um mapa-síntese com a sobreposição de todos os terremotos apontados durante a animação. Nesse momento, é interessante que o professor pause o vídeo e compare esse mapa com o mapa do Anel de Fogo do Pacífico, a fim de que os alunos notem o quanto essa área concentra a maior parte dos terremotos do mundo. Fazendo isso, será possível ilustrar melhor a relação entre os abalos sísmicos e o tectonismo.

Mapa-síntese dos terremotos no mundo. Compare esse mapa com o do Anel de fogo do Pacífico mostrado a seguir
Mapa-síntese dos terremotos no mundo. Compare esse mapa com o do Anel de fogo do Pacífico mostrado a seguir

Mapa do Anel de Fogo do Pacífico, com uma área muito coincidente com o destaque acima
Mapa do Anel de Fogo do Pacífico, com uma área muito coincidente com o destaque acima

É importante também apontar alguns países onde os terremotos e os vulcanismos são frequentes e que se encontram próximos ao Anel de Fogo, tais como o Japão, Chile, Haiti, Indonésia, entre outros. Por isso, na terceira aula, o professor poderá trabalhar com os alunos alguns exemplos de terremotos com informações e notícias retiradas da internet, incluindo o site Brasil escola, que possui textos sobre os terremotos no Chile e no Japão.

Para abordar assuntos como esse, é necessário que o professor sempre contextualize os debates, demonstrando exemplos, imagens, notícias e animações. Por esse motivo, as mídias digitais exercem um importante papel metodológico nas aulas.


Por Rodolfo Alves Pena
Graduado em Geografia

Os terremotos, quando intensos, podem causar graves danos socioambientais
Os terremotos, quando intensos, podem causar graves danos socioambientais
A utilização de mapas no ensino de Geografia perpassa pela alfabetização cartográfica
Estratégias de ensino-aprendizagem A utilização de mapas no ensino de Geografia
O Monte Everest é uma evidência da ação das Placas Tectônicas sobre o relevo
Estratégias de ensino-aprendizagem Animação sobre o Monte Everest
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola