Observatório Mundial do Desmatamento

Estratégias de ensino-aprendizagem

Acessando a página “Global Forest Watch”, o professor poderá ter acesso a um importante meio didático para falar do desmatamento no Brasil e no mundo.
PUBLICIDADE

Em fevereiro de 2014, o Google, acompanhado por várias instituições e ONGs ambientalistas, além de vários governos nacionais, lançou oficialmente uma plataforma digital que permite acompanhar a evolução do desmatamento no mundo. O objetivo principal dessa iniciativa é propiciar o acesso público a imagens de satélite em alta resolução para acompanhar os principais focos de destruição em massa de florestas em todo o planeta.

Além de possuir um importante efeito social, essa ação também possibilita ao professor uma perspectiva de inovação didática sobre o tema do desmatamento em sala de aula, onde é possível também associá-lo a questões como a expansão da fronteira agrícola no Brasil.

A sugestão é que o professor utilize um projetor de imagens e um computador com acesso à internet na sala de aula para demonstrar aos alunos a espacialidade do desmatamento. Outra possibilidade é utilizar o laboratório de informática, caso esteja disponível na escola.

Assim, acessando a página Global Forest Watch, encontramos um mapa-múndi elaborado a partir da Projeção de Mercator, onde há os principais focos de desflorestamento do mundo. É possível, ainda, navegar pelo mapa aumentando ou diminuindo o zoom (ou seja, a escala) para visualizar com riqueza maior de detalhes os diferentes locais.

Visão do mapa do desmatamento
Visão do mapa do desmatamento

Durante a aula, o professor poderá explorar ao máximo a navegação, mostrando como o Brasil, infelizmente, destaca-se no problema da destruição das florestas. É claro que isso só é possível para aqueles lugares onde há ainda uma grande quantidade de mata a ser devastada, pois, em outros locais, ela já foi destruída há muito tempo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Observando as imagens, é interessante dar um foco maior para o Brasil. Assim, será possível notar que a questão da fronteira agrícola no país não se trata de um mito, pois, à medida que a agropecuária expande-se, diminui-se o espaço das florestas. Inicialmente, esse processo atingiu a Mata Atlântica no litoral do país e foi se expandindo para o interior do território, onde a vítima mais recente foi o Cerrado, que conta atualmente com menos de 20% de sua área original.

Mapa do desmatamento com foco no Brasil. Observe a mancha em direção à Amazônia
Mapa do desmatamento com foco no Brasil. Observe a mancha em direção à Amazônia

Na imagem acima, reproduzida do mapa da Global Forest Watch, podemos notar que há uma grande mancha de desmatamento na região Norte e em partes das regiões Centro-oeste e Nordeste. Ela representa a atual zona onde está instalada a fronteira agrícola, em que há muitas ocupações ilegais de terra, conflitos locais e, principalmente, a grilagem de domínios públicos e de áreas de preservação natural.

Assim, com essas observações, o professor poderá demonstrar para os seus alunos que a preservação do meio natural no país – e também no mundo – envolve ações públicas e institucionais para combater o crescimento do processo de desmatamento atualmente em curso. Ao todo, segundo o próprio levantamento do projeto, o planeta já perdeu cerca de 2,2 milhões de quilômetros quadrados de floresta entre os anos de 2002 e 2012.


Por Rodolfo Alves Pena
​Graduado em Geografia

O desmatamento é um problema que vem atingindo, principalmente, a Amazônia
O desmatamento é um problema que vem atingindo, principalmente, a Amazônia
Artigos Relacionados
Como interpretar informações obtidas por meio de satélites artificiais.
Uma abordagem sobre os prejuízos causados pelo desmatamento na floresta Amazônica.
Um diagnóstico dos problemas ambientais causados pelas atividades humanas.
A música de Luiz Gonzaga nas aulas sobre conscientização ambiental.
A abordagem crítica do desmatamento na maior floresta tropical do mundo.
Uma proposta de aula de Cartografia utilizando o site “Google Maps”.