Topo
pesquisar

Ensino de reações de neutralização de forma prática

Estratégias de ensino-aprendizagem

Este texto apresenta uma proposta estratégica para que o educador químico possa realizar o ensino de reações de neutralização de forma prática.
PUBLICIDADE

O ensino de Química apenas de forma teórica, o que é feito em muitos locais e há muito tempo, está perdendo a cada dia seu sentido, haja vista que vivemos tempos em que a informação está cada vez mais acessível. Um exemplo de assunto que sempre foi ministrado no quadro-negro são as reações de neutralização.

O ensino de reações de neutralização ministrado apenas por equações químicas, como as representadas abaixo, não faz sentido, pois qualquer aluno com um smartphone e acesso à internet consegue acessar vários sites que apresentam essas equações.

Nesse contexto, o grande desafio para o professor de Química, em uma época em que seus alunos podem ter informações a qualquer hora, é tornar suas aulas mais atrativas e que tenham como principal objetivo fornecer ao aluno um ambiente de entendimento de forma significativa, e não apenas lançar um conteúdo por estar no programa do Enem ou de algum vestibular.

O Enem, inclusive, tem cobrado cada vez mais que os alunos desenvolvam habilidades com os conteúdos, ultrapassando, assim, o patamar do “decoreba”. Por isso, por intermédio deste texto, proponho uma estratégia para que você, professor, possa realizar o ensino de reações de neutralização de forma prática e verdadeiramente significativa para seu aluno.

Esta proposta de ensino de reações de neutralização tem como foco principal fazer o aluno entender de forma aplicada por que, quando ingerimos o bicarbonato de sódio, por exemplo, conseguimos aliviar os sintomas da queimação provocada pelo ácido clorídrico (HCl) em nosso esôfago.

a) Introdução

Antes de qualquer aplicação prática, devemos dar uma explicação sobre as características da reação de neutralização, como ela é representada e qual é sua relevância no nosso dia a dia.

Sabe-se que a reação de neutralização é aquela transformação química que envolve a mistura de uma substância com propriedade ácida com outra de característica básica, resultando sempre na formação de uma nova substância que apresenta característica salina juntamente à água ou não.

A equação que representa, de forma geral, as reações de neutralização é:

HX + YOH → YX + H2O

A substância HX pode ser, por exemplo, o ácido clorídrico (HCl, presente no estômago humano), e a substância YOH pode ser, por exemplo, o hidróxido de sódio (NaOH, presente na soda cáustica utilizada para fazer sabão).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quando misturamos o HCl com o NaOH, ocorre uma reação química com intensa liberação de calor que origina cloreto de sódio e água como produtos finais, ou seja, não teremos mais a presença nem da substância ácida nem da substância básica.

b) Materiais e reagentes

ATENÇÃO: Antes de começar o procedimento, pedir para que todos os alunos coloquem o jaleco, luva, máscara e óculos de proteção. Além disso, sempre pipetar o ácido clorídrico no interior de uma capela para evitar vapores do ácido.

  • Luvas

  • Máscaras

  • Jalecos

  • Óculos de proteção

  • Baquetas

  • Pipetas

  • Peras de sucção

  • Béqueres (de 1L e 50 mL)

  • Balança

  • Água destilada

  • Ácido clorídrico 37%

  • Hidróxido de sódio

  • Indicador de repolho-roxo

c) Procedimento

  • 1º passo: preparar uma solução 0,1 mol/L de NaOH, pesando 4g dele (em um béquer de 1L) na balança e dissolvendo em 1 litro de água destilada;

  • 2º Passo: Pipetar 20 mL da solução de NaOH preparada e adicionar a um béquer de 50 mL;

  • 3º Passo: Pipetar 20 mL da solução de HCl e colocar em outro béquer de 50 mL;

  • 4º Passo: Adicionar 5 mL de suco de repolho-roxo no béquer com solução de NaOH e outros 5 mL de suco de repolho-roxo no béquer com solução de HCl. Verificar a cor.

  • 5º Passo: Repetir os passos 2 e 3;

  • 6º Passo: Mexer a mistura com uma baqueta;

  • 7º Passo: Adicionar 5 mL do suco de repolho-roxo.

d) Discussão

É importante entregar um roteiro aos alunos para que eles possam anotar tudo aquilo que estiverem observando e sentindo de forma olfativa ou com o tato ou vendo.

Quando adicionamos o repolho-roxo ao ácido, ele fica vermelho, e a base fica verde. Assim, após realizar a mistura, adicionamos o repolho-roxo para provar que houve a neutralização, já que a solução resultante não ficará nem vermelha nem verde. Todo ácido e toda base são transformados em sal e água.


Por Me. Diogo Lopes Dias

O indicador alaranjado de metila pode ser utilizado em uma neutralização
O indicador alaranjado de metila pode ser utilizado em uma neutralização
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola